Política

Preso em 2011, assessor de Ruiter vai gerenciar US$ 80 milhões em Corumbá

Fonte: Aline dos Santos e Lucas Junot/CGNews em 19 de Abril de 2017

Arquivo Correio de Corumbá

Preso na "Operação Questor" e réu por improbidade administrativa na Justiça Federal, Name Antônio Faria de Carvalho foi nomeado pelo prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha (PSDB), para administrar US$ 80 milhões do Fonplata (Fundo Financeiro de Desenvolvimento da Bacia do Prata).

A designação para que ele seja gerente de engenharia da unidade executiva do projeto foi publicada na edição de 30 de março do Diário Oficial corumbaense. Conforme consulta ao Portal da Transparência, ele é gestor de obras e projetos e servidor desde 2005. A remuneração bruta em março de 2017 foi de R$ 6.148.

Em 2011, Name foi preso na operação da PF (Polícia Federal) que atingiu o primeiro escalão da prefeitura de Ladário, município vizinho a Corumbá. Então secretário de Planejamento e Gestão, ele chegou a ser preso.

Conforme a investigação, um grupo, formado por servidores públicos e empresários, fraudava procedimentos licitatórios que envolviam verbas públicas destinadas à saúde, educação e infraestrutura. O prejuízo era calculado em meio milhão de reais.

Atualmente, ele é réu em três ações na Justiça Federal por improbidade administrativa.

O Campo Grande News tentou contato com Name por diversas vezes nesta quarta-feira (19), por meio da Prefeitura de Corumbá, mas as ligações não foram atendidas.

Fonplata - É um fundo formado por cinco países: Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai, com o intuito de apoiar a integração para alcançar desenvolvimento através de operações de crédito e doações do setor público.

O convênio entre a Prefeitura de Corumbá e o Fonplata foi assinado no dia 28 de março, para financiar o PDI (Programa de Desenvolvimento Integrado), prevê investimento de US$ 40 milhões do organismo internacional e US$ 40 milhões em contrapartida do município.

Na ocasião da assinatura, o prefeito disse que os recursos serão aplicados em projetos de infraestrutura de vias e proteção fluvial, desenvolvimento urbano do Parque Jaguatiricas, restauração de dez prédios históricos, aproveitamento do Parque Ferroviário dos Ipês, melhorias na orla do rio Paraguai, construção de um Centro de Atenção ao Cidadão e revitalização do Ecoparque Cacimba de Pedra. Ele disse ainda que a expectativa é de que US$ 4 a US$ 6 milhões sejam liberados ainda este ano.