Cantinho do Betão - RECEITAS BOTEQUIANAS XIII

Por * Roberto Maciel(Betão)

A velha Oliveti que o Xará me emprestou, mesmo com os pequenos defeitos, tá quebrando um galhão, principalmente para a correção dos textos. De vez em quando a fita enrola ou sai da bitola mas, é nessa hora que o carbono entra em cena.

Na receita a seguir, utilizei material que já estava na geladeira e alguma coisa da minha plantação.

"Afogadinho de moela galinácea com maxixe, cenoura e feijão-andu verde - 24/09/16

Esta receita eu fiz por partes, mas os profissionais talvez a façam de maneira mais simples.
- O que usei:
- moela galinácea, maxixe (que comprei na feira de 4ª), cenoura (idem) e feijão andu verde (produção própria).
- Sal, limão, alho, cebola e cheiro verde.
- Como fiz:
1- Amoleci as moelas na pressão no dia anterior, depois temperei-as com sal e limão.
2- Passei a cenoura no fatiador e dei uma amolecida nela, juntamente com as vagens verdes de feijão-andu recém colhidas.
3- Debulhei as vagens cozidas, deixando umas 3 inteiras para o grande final (separei a água em que fervi a cenoura e o feijão).
4- Cebola, tomate, alho e pimentão, todos picados e, mãos à obra:
- As moelas cortadas ao meio (para render mais), foram as primeiras a cair no óleo quente para o fritinho básico.
- A seguir, os temperos básicos (cebola, alho, tomate e pimentão), pra mode apurar o sabor.
5- Aí entra o maxixe em rodelas e a cenoura para serem "afogadas" na água onde eu havia amolecido a cenoura e o feijão e, já quase secando a água, complementei com os grãozinhos do feijão-andu.
6- Para afrescalhar o prato, usei as vagens inteiras do feijão, tomate cereja e o cheiro-verde.

CALDÃO AGRIDOCE
Meu jantar se resume num prataço de sopa, caldo de alguma coisa ou um cremão de legumes. Quando não tem nada disso, frito um ovo e como com pão.

Já citei em receitas anteriores que sempre procuro guardar a água em que fervi carne seca ou legumes e, aproveitando essas águas e algum material que tinha na geladeira, fiz esta delícia.
- O que usei:
1- Abóbora, batata doce, maxixe e bacon.
2- Cebola, alho, tomate.
3- Caldo em que cozinhei os legumes e uma água de carne seca de receitas anteriores.
- Como eu fiz:
1- Dei uma amolecida nos legumes e guardei a água da fervura.
2- Óleo na panela dava um frito no bacon pra mode fazer o caldinho.
3- Enquanto os temperinhos básicos se incorporavam ao bacon, os legumes dançavam no liquidificador com a água do cozimento e a água de carne seca e um tablete de caldo de carne (esqueci de colocar este último nos ingredientes).
4- O batidão foi se juntar aos ingredientes da panela e o toque final do infaltável cheiro-verde completou o prato.

- COMITIVÃO GALINÁCEO - 13/10/16
O macarrão de comitiva geralmente é feito com carne seca e eu, para fazer algo diferente, usei coxinha da asa ao invés de carne de sol.

- O que usei:
1- Coxinha da asa, macarrão nº4, bacon, um tablete de caldo de galinha, laranja e sal.
2- Tomate, cebola, alho, pimentão e cheiro verde.
- Como eu fiz:
1 - Temperei o frango com laranja e sal (devia ter usado limão, pois o frango acabou ficando meio adocicado).
2- Bacon formando o caldinho no óleo, preparando-se para receber as sobreasas galináceas que vieram logo a seguir para aquele frito. E enquanto isso acontecia, eu dissolvia o tablete de caldo galináceo, num litrão de água e quebrava o macarrão em pequenos pedaços.
3- A seguir, cebola e alho picados vieram dar aquele sabor às peças galináceas fritas e quando o cheirinho temperístico ganhou o ambiente, agreguei o macarrão picado para dar um frito junto aos ingredientes da panela.
4- O tomate e o pimentão picados vieram complementar a surubada panelística, formando um caldinho básico.
5- A água quente onde dissolvi o tablete chegou para completar o arranjo e já no seu quase secar, joguei o cheiro-verde.
Obs. Meu único pecado foi não ter usado o limão no lugar da laranja.
- Os pimentões e a cebolinha usados nestas receitas são cultivadas aqui no barraco.

- QUIABO COM CARNE-SECA - (24/10/16)
Aproveitando os quiabos que comprei na feira e a carne-seca de minha produção, resolvi unir o útil ao agradável, já que a consorte já está começando a encarar minhas iguarias botequianas.

- O que usei:
1- Quiabos cortados em 3 pedaços, carne-seca previamente amolecida e cortada em cubos e bacon.
2- Limão, cebola, alho, tomate, pimentão e cheiro-verde.
- Como eu fiz:
1- Na panela para a confecção do pitéu, dei um frito na carne-seca, tendo como lastro, uma parte do bacon em cubos pequenos e, numa frigideira, usando a outra parte do bacon, fritei o quiabo, tendo sempre o cuidado de ir gotejando limão pra mode evitar a baba.
2- Após o fritinho básico das duas partes, juntei ambas na mesma panela, acrescentei um pouquinho mais de óleo, começando a desova dos temperos: cebola, alho, tomate e pimentão.
3- Acrescentei um pouco da água na qual dessalguei e amoleci a carne, pra mode amolecer o quiabo e, para finalizar, acrescentei o cheiro-verde.
Obs. Estas receitas foram fotografadas e degustadas a contento. Não mando as fotos porque a página é em preto-e-branco e, além disso, não sei colocá-la na internet.

* Membro da União Brasileira de Escritores