Fé, religiosidade, ou apenas uma data?

Por *Janir Arruda

Esta semana pensei muito em escrever uma matéria sobre a semana santa sobre a fé, sobre o amor e respeito ao próximo, é uma semana de reflexão em Cristo e nas redes sociais perguntei sobre o que as amigas iriam fazer: umas disseram que iriam dormir outras aproveitar o ponto facultativo, outros com vontade de subir numa moto e pegar a rodovia e deixar o vento tocar no rosto e embaraçar os cabelos. Mas uma das coisas mais interessantes ninguém dizia. O que representa estas datas? E mais: por que não são únicas, são móveis?  E resolvi contar o que eu sei.

O povo judeu celebrava a páscoa, chamada também de "Festa da Liberdade", comemorando o fim da escravidão e sua saída do Egito. Segundo o judaísmo, os hebreus devem celebrar todos os anos a festa da páscoa durante uma semana inteira, entre os dias 14 e 21 do mês de Nissan - dias que começam com a primeira lua cheia da primavera. O mês de Nissan é o primeiro mês do calendário hebraico bíblico (Êx 12, 2), porque nesse mês o povo de Israel saiu do Egito. Tal mês cai entre os dias 22 de março e 25 de abril.

A festa da páscoa era fixada com base no ano lunar, e não no ano solar do calendário civil. Recordemos que, nas antigas civilizações, empregava-se o calendário lunar para calcular a passagem do tempo. Por que os judeus celebram sua páscoa com a primeira lua cheia da primavera? Porque havia lua cheia na noite em que o povo judeu saiu do Egito, e isso lhe permitiu fugir à noite sem ser descoberto pelo exército do Faraó, ao não depender de iluminação. Mas o que a páscoa judaica tem a ver com a Páscoa cristã?

Na Última Ceia, realizada na Quinta-Feira Santa, os apóstolos celebraram com Jesus a páscoa judaica, comemorando o êxodo do povo de Israel, guiado por Moisés. Com isso, temos a certeza de a primeira Quinta-Feira Santa da história era uma noite de lua cheia.   E é por isso que a Igreja coloca a Quinta-Feira Santa no dia de lua cheia que se apresenta entre os meses de março e abril. Então, a data da Semana Santa depende da lua cheia. Esta mobilidade afeta não somente as festas relacionadas à Páscoa, mas também o número de semanas do Tempo Comum; são as chamadas festas móveis, que variam todos os anos, juntamente com a solenidade da Páscoa, da qual dependem.

Antigamente, a Páscoa era celebrada exatamente no mesmo dia da páscoa judaica; mas uma decisão do Concílio de Niceia (ano 325) determinou que a Páscoa cristã fosse celebrada no domingo (o domingo posterior à primeira lua cheia primaveral do hemisfério norte). Está explicado. Até semana que vem e que este fim de semana tenha sido momento de reflexão, de carinho e de renovar as forças para os problemas nossos do cotidiano. Não fique dormindo esperando tempo e as coisas passarem. Lute, diga que ama e não apenas diga...AME!
*Assessora Executiva