Cantinho do Betão - DESASSUNTADO X

Por Roberto Maciel (Betão)

Mais um feriadão. Escolas estaduais e municipais promovem a "Semana do saco cheio" e quando a escola aqui do bairro tranca as portas, qualquer dia parece domingo. O silêncio e a falta de movimento da criançada tomam conta do bairro. Até o Xará que acorda com o papaguear da molecada, sente falta de seu despertador.

O tempo mudando de uma hora prá outra. Quente pela manhã, frio à noite. Haja saúde, meu. E a novela continua nos jornais: polícia prende, Juiz solta e a galera do alto escalão já não se intimida mais. Tudo isso me deixa desinspirado e para não deixar a página em branco, aqui vai mais um "desassuntado".

ENTENDA A NATUREZA
Com essa estiagem de agosto, floriram meu cajueiro, meu abacateiro, minha pitangueira, a goiabeira e os pés de araçá. Nasceu até um abacaxi no abacaxizeiro que eu plantara num vaso há alguns anos atrás. Tudo isso, graças à rega diária. Enquanto as flores enfeitavam as árvores, as folhas caíam, sujando o jardim e o quintal. Foi aí que veio a tão esperada chuva, a princípio fraca, não dando nem para encher meu latão onde coleto água pluvial para regar as mudinhas (não ia adiantar mesmo pois, a primeira rebordosa é ácida). A próxima que veio, veio aquela de vento, recheada com granizo. Nesse meio tempo, a folharada tomou conta do jardim, do quintal e da garagem. Tive que apelar para o "disque Ventinha" (meu secretário de limpeza), mas só que a Consorte o catou primeiro para uma faxina geral na cozinha. Fiquei, então, com o sábado, compromisso agendado para as 8 da matina.

Contrariando meu relógio biológico, às 7 da matina eu já estava em pé, a espera do limpador. Reguei as plantas e fiquei na boca da espera, enquanto a Consorte foi dar um trato na cabeleira. Até as 10 da matina, como o trabalhador não apareceu, já meio emputecido, meti a mão na massa e de rastelo em punho, enchi de folhas secas, dois sacos de 100 litros e como já estava no meu horário de lazer, # parti boteco, prometendo terminar o serviço a tarde.

Pedro resolveu aproveitar a tarde de sábado para faxinar lá em cima e mandou água prá baixo, cortando meu barato.

ATROPELADO POR UM CEGO
Engraçado. Toda vez que você compra um pouco de areia e uns pedriscos para ajeitar alguma coisinha na calçada, já vem um fiscal da Prefeitura te intimar a colocar o piso tátil (em frente às escolas Municipais, cego tem que andar de lanterna para desviar do mato e dos buracos). Lá no centrão, a maioria das calçadas apresenta o piso tátil e como as calçadas são mais estreitas, a gente tem que dividir o espaço. Certo dia, eu e a Consorte caminhávamos pelo centrão (eu sobre o famigerado piso), quando a Patroa me puxou. Estranhei. Cuidado, disse ela. Olhei para a frente e vi a locomotiva vindo direto em minha direção, a bengala branca varrendo sua frente. Tentei saltar para o lado. Mas acabei levando uma bengalada na perna e uma ombrada. O pior é que o cara continuou seu caminho sem esperar que eu lhe pedisse desculpas. Hoje, quando vou ao centrão, já fico velhaco e evito caminhar na pista proibida.

BANHO DE LOJA
Aproveitando o fabuloso aumento de salário com que o nosso querido Governador nos presenteou (2,94%, do qual o LEÃO levou sua parte), fui ao centrão para renovar o guarda-roupa academístico, pois as duas bermudas que tenho, uma delas teve o fecho pifado e a outra, cujo botão de pressão ainda fecha mais ou menos, por várias vezes me deixa em maus lençóis durante algum exercício pesado. O jeito foi encarar meu pior inimigo: o provador de roupas da loja. Para maior comodidade na hora da experimentação, já fui de bermudas para evitar de tirar os tênis. Já fui direto na ala de promoções onde descolei duas bermudas e 3 camisetas, enxoval que me custou cento e poucos reais ( o que, propriamente sobrou do grande aumento). Ainda bem que o provador dessa loja deu uma cooperada.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

* QUERO APROVEITAR ESTA OPORTUNIDADE PARA SAUDAR AQUELES QUE LUTAM NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS PARA UM BRASIL MELHOR, EMBORA SEUS ESFORÇOS NÃO SEJAM RECONHECIDOS. VOCÊS, JOVENS MESTRES, MUITOS DOS QUAIS PASSARAM POR NOSSAS MÃOS, LUTEM, COMO NÓS LUTAMOS, PELO ENGRANDECIMENTO DE NOSSA PROFISSÃO - PROFESSOR.

APROVEITO O ENSEJO PARA RELEMBRAR O NOSSO MESTRE DOS MESTRES, O SAUDOSO PADRE ERNESTO SASSIDA, QUE HOJE COMPLETARIA MAIS UM ANO DE EXISTÊNCIA. QUE DEUS O TENHA.