Uma tragédia anunciada

Por Dílson Fonseca

Um governo que começa pela porta dos fundos só dá no que estamos presenciando, uma tragédia. A era do entreguismo voltou, tanto das nossas riquezas naturais quanto das nossas empresas estatais. Primeiro a tentativa de lotear a Amazônia, depois a entrega do pré sal, a riqueza que iria dar suporte a educação foi entregue de mão beijada, agora a bola da vez é a Eletrobrás. Atrelados a isso assistimos passivamente o aumento quase que semanal dos combustíveis, e do gás de cozinha e consequentemente o aumento de todos os produtos de primeira necessidade. Sem se esquecer dos direitos trabalhistas e previdenciários indo para o ralo.

E o povo assiste tranquilo em berço esplêndido aceitando tudo passivamente, sem pelo menos sair as ruas e manifestar. Sem se esquecer que por duas vezes os nobres deputados blindaram o Presidente de pelo menos ser investigado, pois ai teríamos a velha tona "quem não deve não teme", mas ao contrário preferiram mandar para o caixão a investigação. E o mais interessante que alguns nobres deputados tiveram a cara de pau de dizer, deixa assim e depois investiga, ou seja, pode continuar... não seria assinar um cheque em branco? Lamentável.

Mas tudo que está acontecendo estava sendo anunciado, pois quando a sede pelo poder é muito grande, o "povo que se exploda", mas será que esse mesmo povo irá se manifestar? Ou vai deixar tudo da mesma forma ou ainda vai continuar votando em troca de algo? a velha tônica do "toma lá dá cá".

Nesse momento percebemos o retorno, pois os direitos conquistados com muita luta, nem mesmo tirado por outros governos que não tinham um alinhamento com a luta dos trabalhadores tiraram. E esse governo que ai está que entrou pela porta dos fundos e que já entrou com várias e várias e várias denúncias do seu alto escalão de corrupção está tirando, em pouco menos de um ano já se regrediu uma década no Brasil em relação aos direitos conquistados pelos trabalhadores. Me lembro muito bem que disseram inclusive os "entendidos" aqui de Corumbá, com a taxação do teto de gastos com a saúde e educação tudo iria melhorar. Ao contrário PIOROU, onde estão os medicamentos? Onde estão os recursos que eram investidos nas pesquisas das Universidades. O gato comeu ou será que o Rato que comeu?

Uma reflexão para 2018, e não se esquecendo da passagem bíblica que explica tudo, "diga-me com quem tu andas e te direi quem tu és". Vamos ver se o povo sul-mato-grossense irá se lembrar de quem ajudou a subir os combustíveis, o gás, vender as nossas estatais e tirar nossos empregos, diminuir os gastos com saúde, educação, ajudou a manter a corrupção, ajudou a afundar a lava jato e decidiu com o governo que primeiro se morre e depois se aposenta. Fica a dica.