Necrológio

HOMENAGEM POSTUMA

Fonte: Adolfo Rondon em 15 de Novembro de 2015

É com profundo pesar que registramos o falecimento da educadora aposentada Sra. EROTIDES DE FIGUEIREDO ORTIZ, aos 95 anos, ocorrido em Corumbá no dia 04 de novembro de 2015. (Nasceu em Cuiabá no dia 15 de março de 1920). Era viúva do inesquecível Adélio Ortiz, com quem contraiu matrimônio no dia 12 de dezembro de 1944, quando tinha 24 anos, deixando três filhas, todas professoras: Maria Loreta Ortiz Negreiros, viúva do empresário Raimundo Negreiros; Maria Lúcia Ortiz Ribeiro, viúva do comerciante Paulo Ribeiro e a Madalena Luiza Ortiz Souza, viúva do comerciante Carlos Souza, que lhe deram 6 netos, hoje formados em curso superior e 12 bisnetos.

A pranteada concluiu o Curso Normal no tradicional Liceu Cuyabano em Cuiabá, no ano de 1937, estabelecimento de ensino onde também estudou Cândido Mariano da Silva Rondon, o renomado Marechal Rondon.

A professora Erotides iniciou a carreira do Magistério em 1939 numa Escola Urbana do Despraiado, em Cuiabá-Mato Grosso. Permaneceu nesse estabelecimento educacional até novembro de 1944 quando solicitou demissão tendo em vista que após o seu casamento no final desse ano, mudou-se para a cidade de El Carmen na Bolívia, acompanhando seu marido, então funcionário da extinta Comissão Mista Brasil-Bolívia. Em 1945, já em Corumbá, por um curto período de tempo, exerceu as funções de Inspetora de Ensino Municipal, por ato do então prefeito Arthur Marinho, afastando-se em setembro desse mesmo ano, por ocasião do nascimento de sua filha primogênita Maria Loreta. Em 28/04/1965 foi nomeada para o cargo em comissão de Diretora do Grupo Escolar Luiz de Albuquerque, atual ILA. Já em 19 de setembro de 1960 por ato do governador do estado de MT uno, foi readmitida como Professora Primeira Classe J, sendo lotada na escola acima nominada.

Na sequência de sua vitoriosa carreira no Magistério, em dezembro de 1961 a professora Erotides de Figueiredo Ortiz foi convidada pelo então Inspetor Municipal de Ensino, o saudoso professor Alexandrino dos Santos Mauro e pelo então prefeito Dr. Edimir Moreira Rodrigues, para assumir o cargo de Diretora da Escola Municipal "Cyríaco Felix de Toledo", tendo sido nomeada através do Decreto n.º 83 de 31/01/1962. Em 01 de março de 1962 foi transferida para a Escola D. Vicente Priante, cuja mantenedora era a Congregação das irmãzinhas de Jesus Adolescente em parceria com a Diocese de Corumbá e conveniada com o governo do Estado de MT. Em 1967 foi removida para a Direção da Escola Municipal "Luiz Feitosa Rodrigues", então, recém-criada. No dia 22 de dezembro de 1969 foi aposentada da rede estadual de ensino.

Por outro lado, de 1971 a 1974 a benquista professora Erotides atuou em várias frentes do Movimento Brasileiro de Alfabetização(MOBRAL), que muito contribuiu para retirar adultos do analfabetismo. Em 1972 foi transferida para a Escola Municipal "Delcídio do Amaral" que iniciava as suas atividades e, em 1974 voltou a dirigir a Escola Municipal "Cyríaco Felix de Toledo" até 1980, quando foi removida para o órgão central de educação, então Secretaria Municipal de Saúde e Educação. Finalmente, no dia 30 de setembro de 1982 fez jus à merecida aposentadoria através de decreto assinado pelo então prefeito Ruy Waldo Albaneze.

A Missa de 7.º Dia de seu passamento foi celebrada na Igreja de Nossa Senhora dos Remédios de Ladário, atendendo ao pedido do Padre Celso, muito amigo da já saudosa professora Erotides e que é muito considerado pela família enlutada.

A cidadã Erotides de Figueiredo Ortiz era referência em termos de equilíbrio, sensatez, justiça e ponderação, tendo sido especialista em promover conciliações e entendimentos onde por ventura existiam divergências. Todos ouviam suas orientações e tudo acabava em acordos e abraços.

D. Erotides gostava de fazer tudo aquilo que a sua avançada idade permitia: reunir-se sempre com suas filhas, netos, bisnetos e amigos; rezar, pois era uma católica fervorosa, ajudava aqueles aos quais podia, apreciava uma boa leitura, assistia TV e brincava com os netos e bisnetos.

Mensagens que sempre passava para os pais de alunos: "Não desistir nunca da educação de seus filhos. Os filhos são tesouros que o Senhor nos concedeu e por isso devemos ter com eles todo cuidado possível. Devemos amá-los e respeitá-los. Ensinar sempre o bem. Nunca lhes repassar sentimentos de ódio, vingança e desamor". Já para os professores e alunos da atualidade: "Os tempos mudarem, mas não mudaram os bons sentimentos, as regras de educação e os bons costumes. Procurem trazer sempre no coração o desejo de lutar por uma causa nobre, por um ideal. Toda vez que temos um objetivo temos também entusiasmo e desejo para prosseguir na caminhada. Não desanimar nunca. Todo problema sempre tem uma solução. É preciso termos persistência, tenacidade e confiança. Rezar, confiar em Deus, respeitar o próximo, estas são atitudes que tornam a vida mais bonita e mais digna de ser vivida".

Para D. Erotides, ódio é a palavra que gostaria que não existisse, pois considerava um sentimento muito egoísta e de desamor. Já para conquistar a felicidade afirmava: "Tudo que o Ser Humano precisa é crer em Deus, a partir daí conseguiremos ser feliz, mesmo havendo pedras no caminho e coisas ruins que andam acontecendo por aí hoje em dia". Sabedoria é uma característica que ninguém pode deixar de ter: "Saber discernir o que é bom, o que é ruim. Isso faz a pessoa parar para refletir e pensar antes de agir. Maior entendimento da humanidade para o amor, respeito ao próximo, solidariedade, que todos tenham atitudes de praticar somente a paz e amizade".

A família enlutada nossos sinceros sentimentos e, a alma de Erotides de Figueiredo Ortiz, muita luz e paz no Reino de Deus.