Agronegócios

IAGRO quer reorganizar estrutura e firmar mais parcerias para desenvolver seu trabalho em 2016

Fonte: Assessoria de Imprensa em 23 de Janeiro de 2016

A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO), órgão da Secretaria de Estado de Produção e Agricultura Familiar do Mato Grosso do Sul, tem como metas para 2016 ampliar as parcerias com instituições e ainda reestruturar a metodologia de trabalho no campo.

A expectativa de Luciano Chiochetta, diretor presidente da Iagro, é que neste ano a agência consiga reorganizar a metodologia de trabalho, ampliando as ações no campo para que, em conjunto e sintonia com o produtor rural, possa abrir mercados consumidores e buscar, principalmente, a liberação para exportação dos produtos oriundos da região de fronteira (antiga ZAV).

O segundo ponto destacado pelo diretor é a necessidade de parcerias institucionais para melhorias da fiscalização. "Este ano já assinamos um termo de cooperação com o CREA-MS, que prevê a implantação de um novo e moderno sistema de monitoramento eletrônico sobre emissão de receitas agronômicas, comércio e venda de agrotóxicos no Estado, onde será realizado o cadastramento de produtos agrotóxicos e dos profissionais devidamente habilitados para atividades de prescrição dos mesmos, bem como dos estabelecimentos comerciais agropecuários como: revenda de agrotóxicos, empresas prestadoras de serviços na aplicação de produtos fitossanitários, centrais e postos de recebimento de embalagens vazias, propriedades rurais e empreendimentos agroindustriais, instaladas em Mato Grosso do Sul" ressalta o diretor.

Um terceiro ponto, esse de grande impacto para o trabalho, foi lançado em dezembro de 2015 e segue a todo vapor desde então. O sistema de controle integrado de animais destinados a eventos (Ciade), criado pela Iagro para monitorar o trabalho dos médicos veterinários autônomos em eventos pecuários com aglomerações de animais, como as festas de laço, leilões e feiras.

A informatização desse e de outros processos faz com que a Iagro tenha um controle maior sobre suas atividades, seja mais eficiente e ainda consiga gerar economia para os cofres públicos.

Considerando a necessidade de padronizar e garantir a qualidade das ações sanitárias a serem realizadas no Estado, em observância ao que preconiza o Programa Nacional de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose - PNCEBT, a Iagro tem como meta para este ano, descentralizar a comercialização de antígenos para diagnóstico da doença, hoje prática exclusiva da agência. Sendo assim, essa comercialização poderá ser realizada também pelas revendas autorizadas para comércio de produtos biológicos e que estejam devidamente regulares com o serviço oficial (MAPA e Iagro).

Novamente no quesito parcerias institucionais, a Iagro e Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas (IST) devem assinar em breve um termo de cooperação que prevê ações conjuntas para controle de qualidade dos alimentos, cursos de capacitação técnica, e desenvolvimento de modelos de agroindústria, atividades que segundo Luciano, vem para auxiliar na diminuição do comercio irregular, e cria soluções inovadoras para as empresas do ramo de alimentos, aumentando a competitividade e ampliando as possibilidades de conquistas novos mercados.

Para Luciano, é preciso introduzir novos modelos de gestão focados na eficiência e que permitam uma maior agilidade nos processos e um melhor atendimento ao produtor rural, dando a ele condições sanitárias para criar seu rebanho e produzir o alimento que chega à mesa do consumidor.

"Nós temos que modernizar a nossa agência na questão de estrutura, das habilidades e competências para que possa acompanhar as tecnologias e rapidez da informação. Também vamos trabalhar duro para enfrentar qualquer dificuldade de orçamento. O momento é de buscar soluções para sermos eficientes e eficazes naquilo que a sociedade espera de nós", concluiu.