Necrológio

Adeus, Rosalina Mavignier!

Fonte: Adolfo Rondon em 04 de Março de 2016

Arquivo Famliar

Hoje dia 04 de março de 2016, às 03h35, uma linda Rosa se fechou para descansar. Hoje ao despertar com certeza será em um belo jardim onde irá florescer eternamente e enfeitar o reino do céu, onde com certeza terá um lugar especial. Vá em paz minha linda e amada irmã. Vá livre de toda essa luta terrestre e de todo o mal. Vá livre e com a consciência tranquila de que semeou o bem. Te amarei eternamente!!! Vania Mavignier Cárcano.

Meu mundo que era Rosa amanheceu sem cor... sem vida!!! Mamãe, a Rosa Mavignier que alegrava as pessoas com seu sorriso e dava cor ao mundo com os Lenços Solidários, agora está junto a Deus, e lá do céu continuará iluminando todos nós com seus beijos de luz!!! Fique em paz aí com Gugu... Amamos você!!! Andréa Mavignier.

Você minha Amiga de Fé, minha irmã camarada, amiga de tantos caminhos de tantas jornadas... me lembro de todas as lutas, nossa boa companheira, você tantas vezes provou que era uma grande guerreira, o seu coração era uma casa de portas abertas, Amiga você era a mais certa das horas incertas. A sua palavra de força, de fé e carinho, nos deu a certeza de que nunca estivemos sozinhos. Adolfo Rondon.

Faleceu na madrugada de hoje (04) em Campo Grande, um dos ícones da luta contra o câncer feminino em Mato Grosso do Sul: a artesã corumbaense Rosalina Mavignier, aos 66 anos. Durante os últimos três anos lutou com muita garra pela vida e com suas atitudes amenizou a situação de milhares de portadoras dessa enfermidade por todo o Brasil.

A história de Rosa era igual à de muitas outras mulheres que possuem câncer. A perda de cabelo e a baixa autoestima eram alguns efeitos colaterais da doença e que Rosa soube controlar. Com fé e força, a artesã percebeu que a beleza estava nos detalhes e que um pedaço de pano pode renovar a vida de uma pessoa.

"Não costumo nem utilizar a palavra palestra, pois é como um bate papo, uma troca de informação. Estou lá para contribuir com as pessoas que tiveram o mesmo problema que o meu", afirmava Rosa.

Artesanato
Rosalina também era uma artesã muito talentosa, antes que a doença tomasse conta do seu corpo, cujas imagens de São Francisco de Assis - em barro e estopa - eram suas principais referências. Não é raro encontrar um dos seus trabalhos - facilmente identificáveis pelo seu estilo artístico, na região de Corumbá.

O seu corpo está sendo transladado para Corumbá e será velado na Capela Cristo Rei a partir das 16 horas desta sexta-feira, de onde sairá o féretro amanhã, sábado, em horário ainda a ser confirmado, para seu sepultamento no Cemitério Santa Cruz.