Agronegócios

1º Leilão Embrapa Pantanal e convidados coloca mais de mil animais à venda

Fonte: Assessoria de Imprensa Embrapa em 29 de Junho de 2016

No próximo dia 09 de julho, sábado, a Embrapa Pantanal realiza o primeiro "Leilão Embrapa Pantanal e convidados". Serão ofertados cerca de 50 equinos da raça Pantaneira, de elite e de serviço, 40 touros reprodutores Nelore criados a campo, 40 bovinos Pantaneiros e 1.000 animais de corte da instituição e de produtores locais. O evento será realizado a partir das 12h no Parque de Exposições Belmiro Maciel de Barros em Corumbá (MS), com transmissão ao vivo pelo canal Agrobrasil (www.agrobrasiltv.com.br) e pelo portal online www.leiloboi.com.br.

"O objetivo geral do leilão é fomento. No caso dos bovinos, a gente tem que retirar da fazenda o excesso de animais, já que o campo experimental da Embrapa Pantanal tem porte pequeno. Também temos que fazer um descarte técnico para vacas e touros velhos. No caso dos equinos, a gente busca, além de reduzir o tamanho do rebanho, estimular a presença da raça em outras propriedades. Precisamos aumentar a quantidade de núcleos de criação desses animais nas fazendas do Pantanal", afirma José Aníbal Comastri Filho, chefe adjunto de Transferência de Tecnologia da instituição.

Bovinos
Segundo o pesquisador da Embrapa Pantanal Eriklis Nogueira, que preside a comissão responsável pelo leilão, duas categorias de bovinos serão vendidas no dia 09: os melhoradores dos rebanhos e os animais de corte. No caso dos touros reprodutores, Eriklis explica que os animais são analisados desde a desmama até a idade adulta, assim como sua genealogia. "Eles passam por avaliações reprodutivas, com exames andrológicos e de sanidade. Só são vendidos animais realmente melhoradores e que têm um potencial reprodutivo muito bom", afirma.

O pesquisador Urbano Gomes, também da Embrapa Pantanal, relembra que esses touros são controlados pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e fazem parte do Geneplus, programa de melhoramento genético da Embrapa. Para Urbano, animais como esses apresentam melhor desempenho reprodutivo e ponderal - ou seja, maior ganho de peso. "A ideia é vender a qualidade genética de um animal que sempre foi aclimatado e selecionado no Pantanal", diz. "Esse melhoramento trazido pelo reprodutor significa mais dinheiro no bolso do produtor".

Eriklis ressalta que os animais de corte leiloados são filhos de touros melhoradores e, embora não tenham as características adequadas para serem reprodutores, são bovinos de qualidade. "Trabalhamos com animais criados quase exclusivamente a pasto, em condições de pastagens não melhoradas, algo bem real para o Pantanal", conta. "Se esses animais voltarem a propriedades pantaneiras, não vão apresentar tanta perda de peso, de condição corporal. Já estão acostumados ao ambiente e ao calor".

Equinos
Ainda de acordo com Eriklis, os equinos Pantaneiros de elite também vieram do núcleo de equinos da Embrapa Pantanal, filhos de garanhões e éguas melhorados. "Esses animais são colocados à venda como reprodutores para aumentar o número de outros rebanhos", diz. Ele afirma que tanto os animais de elite quanto os de serviço apresentam as tradicionais características de rusticidade e eficiência da raça. "Esses animais são criados a vida toda com pouca suplementação, a pasto, na fazenda Nhumirim. São animais bem adaptados".

Durante o evento, também será lançado o livro "Cavalo Pantaneiro: rústico por natureza", fruto de 30 anos de pesquisas e interações com criadores. Escrito por mais de 50 autores, a publicação foi editada pelas pesquisadoras Sandra Santos e Suzana Salis, da Embrapa Pantanal, e por Comastri Filho. "Essa é uma obra que dignifica o trabalho dos pesquisadores, dos técnicos, dos peões, dos pioneiros da raça e dos criadores atuais", conta Comastri. Ele diz que o livro aborda temas como a história e as características do animal, que foi moldado pela natureza para adquirir a resistência e a funcionalidade que tem para a lida com bovinos em campos alagados e secos. "O livro vai fazer com que as pessoas se apaixonem pela raça".

O leilão
Os interessados nos animais da Embrapa Pantanal podem participar do evento de forma presencial ou virtualmente, pela central de lances da Leiloboi. É o que informa André Nantes, gerente administrativo da empresa em Corumbá. "A pessoa liga na central e dá o lance na hora", diz. Ele esclarece que os compradores de outras cidades que pretendem visitar Corumbá na próxima edição da Feira Agropecuária do Pantanal (Feapan) poderão adquirir os animais e alojá-los na propriedade da Leiloboi até o evento, de forma a facilitar o transporte até as cidades de origem.

Vale lembrar que existem condições de pagamento diferenciadas para cada categoria no leilão da Embrapa Pantanal. "No caso dos cavalos Pantaneiros de elite, o pagamento pode ser feito em até 30 parcelas. Para os touros reprodutores, serão 24 parcelas. Já o pagamento do gado de corte é à vista", diz Edimir de Freitas, supervisor do Setor de Gestão de Patrimônio e Suprimentos da instituição. Segundo a chefe administrativa da Embrapa Pantanal, Rivaldávia Alencar, pessoas físicas e jurídicas podem participar do evento. "Através dos lances, todos podem adquirir seu animal".

Mais informações sobre as condições do leilão podem ser obtidas com Edimir de Freitas pelo telefone (67) 3234-5806 ou pelo e-mail edimir.freitas@embrapa.br.

Serviço
1º Leilão Embrapa Pantanal e convidados / Lançamento do livro "Cavalo Pantaneiro: rústico por natureza"
Data: 09/07/2016
Horário: 12h
Local: Parque de Exposições Belmiro Maciel de Barros - Av. Nossa Senhora do Carmo, S/N - Corumbá.