Eleições 2016

Com mais de 70 mil votos de vantagem, Marquinhos Trad é o novo prefeito de Campo Grande

Fonte: Jéssica Benitez/Midiamax em 30 de Outubro de 2016

Divulgação

Com quase 59% dos votos o deputado estadual Marquinhos Trad (PSD) venceu o segundo turno da eleição para Prefeitura de Campo Grande. A vice-governadora Rose Modesto (PSDB) teve pouco mais de 167 mil votos da preferência do eleitor.

A apuração dos votos durou quase uma hora os candidatos ainda não passaram pelo TRE-MS (Tribunal Regional de Mato Grosso do Sul). Eles acompanharam a contagem ao lado da família. Marquinhos se manteve na frente durante todo o tempo.

Pesquisa feita pelo Instituto DATAmax e divulgada nesse sábado (29) apontou oscilação de Marquinhos entre 55,4% a 62,4% dos votos válidos e da tucana intervalo de 37,6% a 44,6% dos votos válidos. A margem de erro era de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Biografia - Filho do finado deputado federal Nelson Trad, Marquinhos é casado, tem quatro filhas e 52 anos. Formado em direito pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), ele foi conselheiro estadual da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) e atualmente é presidente da comissão de ética.

Em 2004 Marquinhos deu início à carreira política como vereador, mas permaneceu na Câmara Municipal por somente dois anos. Isso porque em 2006 se candidatou a deputado estadual e foi eleito, assim como em 2010 e 2014.

No entanto, ele atua na Assembleia Legislativa desde a década de 1980 quando foi assessor jurídico de seu pai, fato que foi alvo de polêmica durante a campanha eleitoral na qual os adversários alegaram que Marquinhos era funcionário fantasma, pois trabalhava na Casa de Leis quando ainda cursava direito na capital carioca.

Conforme o parlamentar, ele adiantou as matérias do último semestre para poder retornar a Campo Grande. O fato acarretou pedido de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar se há casos de funcionários fantasmas no Legislativo.

Durante a campanha os adversários também usaram investigações nas quais o ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB) está envolvido para atacar Marquinhos. No segundo turno, quando recebeu apoio oficial do prefeito Alcides Bernal (PP), derrotado no primeiro turno, o deputado firmou acordo no qual um dos compromissos é o de não empregar ‘fichas sujas'. Tanto ele quando Nelsinho e Fábio Trad eram do PMDB, partido que deixaram quase simultaneamente.

Bens - Em 2014, quando foi reeleito deputado estadual, Marquinhos declarou R$ 1,2 milhão e neste pleito apresentou R$ 1,4 milhão à Justiça Eleitoral.