Cidade

Moradora dá exemplo para mudar hábitos com contêineres da coleta seletiva

Fonte: Assessoria de Imprensa PMC em 17 de Fevereiro de 2017

Gisele Ribeiro/PMC

Quem mora em Corumbá já está acostumado a ver nas ruas da cidade contêineres de coleta seletiva. Chamados de Pontos de Entrega Voluntária, os PEV´s foram instalados para incentivar a população a separar o lixo orgânico do reciclável.

À disposição da população em pontos estratégicos da cidade, a moradora do centro de Corumbá Maria Lúcia Calábria Rocha cuida e higieniza o contêiner colocado em frente a sua casa como uma de suas prioridades como cidadã. "Nós também temos deveres como cidadãos, por isso que eu cuido do PEV. O município nos entregou como forma de melhorar a qualidade de vida, e nós só precisamos zelar, porque o dinheiro é nosso", afirmou.

"Não é custo nenhum separar o lixo e colocá-lo de maneira adequada seja no PEV ou no caminhão da coleta seletiva. Já sabemos os horários e como o armazenamento do lixo deve ser feito, por isso, eu não entendo, porque tanto problema em cima disso que deveria ser uma solução simples e fácil para nós corumbaenses", enfatizou a corumbaense, mais conhecida como Morocha.

Os Pontos de Entrega Voluntária servem somente para o descarte de material reciclável que é constituído por lixo seco: papéis; vidro; plásticos e metais. De terça-feira a sábado, a partir das 8 horas, o caminhão da coleta seletiva circula pela cidade recolhendo o material descartado pelos moradores.

Na terça-feira, o trajeto passa pelo Centro, Cravo Vermelho e Cristo Redentor. Na quarta-feira, a coleta passa nos bairros Aeroporto, Artur Marinho, Cervejaria, Dom Bosco, Generoso, Popular Nova e Porto Geral. Na quinta-feira, os bairros Universitário, Previsul, Popular Velha, Maria Leite e Industrial recebem o caminhão da coleta. Na sexta-feira, é a vez do Centro e do Nossa Senhora de Fátima. No sábado, a coleta seletiva passa pelos bairros Jardim dos Estados, Guatós, Guarani e Nova Corumbá.

Coleta Seletiva
É um processo que consiste na separação e recolhimento dos resíduos descartados por empresas e pessoas. Desta forma, os materiais que podem ser reciclados são separados do lixo orgânico ou doméstico (restos de carne, frutas, verduras e outros alimentos). Este último tipo de lixo é descartado em aterros sanitários ou usado para a fabricação de adubos orgânicos. A separação do lixo é de extrema importância para o desenvolvimento sustentável do planeta.

Lixo Doméstico
De acordo com a Gerente do Núcleo de Educação Ambiental da Fundação de Meio Ambiente, Marileize da Silva Brasil, é importante que os cidadãos saibam dos horários de coleta de lixo domiciliar em toda a área urbana, "é ideal ter essa informação para que a conscientização seja multiplicada entre os próprios vizinhos, mantendo dessa forma, a cidade limpa e preservação do meio ambiente, evitando descarte inadequado do lixo".

"É importante ressaltar que o lixo deve colocado nos dias de coleta, pois fica sujeito às ações de pessoas que abrem as sacolas plásticas, bem como de animais, esparramando o lixo pelas calçadas", ressalta Marileize. Para facilitar os serviços, a área urbana foi dividido. No Centro, a coleta acontece de segunda-feira a sábado, sempre no período noturno, a partir das 18h30.

Nos bairros Universitário, Maria Leite, Previsul, Industrial, Nossa Senhora de Fátima, Popular Nova, Centro América e Cristo Redentor, a coleta é de forma alternada, às segundas, quartas e sextas-feiras, no período diurno, a partir das 6h30. Os bairros Guatós, Guarani, Nova Corumbá, Popular Nova, Aeroporto, Generoso, Dom Bosco, Arthur Marinho e Cervejaria recebem a coleta sempre às terças-feiras, quintas-feiras e sábados, no período diurno, a partir das 6h30.