Saúde

Nefrologista alerta sobre crescimento silencioso de doença renal

Fonte: Portal ALMS em 15 de Março de 2017

A epidemia da obesidade acompanha o alarmante número de casos novos de doença renal crônica. Nesta quarta-feira (15/3), o médico nefrologista Alexandre Silvestre Cabral participou da sessão ordinária para alertar sobre o crescimento silencioso da doença e enfatizar a necessidade de implantação de uma política preventiva.

"A Sociedade Brasileira de Nefrologia e a Comunidade Internacional de Nefrologia elegeu 9 de março como o Dia Mundial do Rim. O objetivo é chamar a atenção da sociedade para a doença renal crônica, que é a perda progressiva, e muitas vezes irreversível, da função dos rins, o que pode fazer o paciente necessitar de hemodiálise ou transplante para não morrer. No Brasil, em 10 anos, o número de pacientes em diálise passou de 40 mil para 110 mil. Essas pessoas que precisam de tratamento de substituição renal perde em qualidade de vida e tempo de vida. Além disso, o sofrimento se estende aos familiares", disse.

O médico destacou ainda os efeitos com relação aos custos associados. Segundo ele, o orçamento do Ministério da Saúde tem como principal despesa os tratamentos relacionados à insuficiência renal crônica. "A população está crescendo e envelhecendo. Infelizmente, as pessoas não têm acesso aos cuidados adequados de saúde para evitar diabetes, pressão alta e doença renal. Devemos alertar a sociedade para que não haja mais morte precoce".

Neste ano, a campanha tem como foco a obesidade, situação que pode causar ou agravar problemas renais. A Sociedade Brasileira de Nefrologia adverte para os seguintes fatores de risco: pressão alta, diabetes, idade superior a 50 anos, histórico de doenças renais na família, uso de remédios sem orientação médica, tabagismo e doenças cardiovasculares, além do sobrepeso ou da obesidade.