Cidade

Câmara amplia discussão para acabar com o monopólio da Andorinha

Fonte: Da Assessoria CMC em 28 de Março de 2017

Encontro na Câmara reuniu representantes da OAB, ACIC e vereadores de Corumbá e Ladário.

Divulgação/CMC

A Câmara Municipal de Corumbá está ampliando o leque e fortalecendo as discussões em torno do monopólio da Andorinha, empresa responsável pelo transporte intermunicipal e interestadual de passageiros na região pantaneira. A intenção é estabelecer um canal de diálogo com o Governo do Estado, visando uma nova licitação, com abertura de espaço para novas empresas.

O assunto foi amplamente debatido no final da manhã desta terça-feira, 28, durante uma reunião entre representantes das Câmaras de Vereadores de Corumbá e Ladário; da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Corumbá), e da Associação Comercial e Empresarial de Corumbá (ACIC), com as presenças de órgãos de imprensa de Corumbá e Ladário.

O encontro aconteceu na Câmara de Corumbá. Foi uma iniciativa do vereador Evander Vendramini (PP), presidente do Poder Legislativo Corumbaense. Contou com as participações do presidente da OAB de Corumbá, Roberto Ajala Lins; Lourival Vieira Costa, presidente da ACIC, além dos vereadores Rufo Vinagre (PR), Baianinho (PSDB), Tadeu Vieira (PDT), todos de Corumbá, bem como de Fábio Peixoto, presidente da Câmara de Ladário, e seus pares Jonil Barcellos e Vagner Pharol, e do advogado da Câmara, Luiz Felipe Guimarães.

Uma das questões tratadas foi em relação ao contrato de concessão que vem sendo prorrogado há anos, sem que seja aberta uma nova concorrência pública, com o aumento de empresas, acabando de vez com o monopólio atual.

"Nossa luta é pela melhoria da qualidade dos serviços prestados no setor de transporte intermunicipal e interestadual de passageiros. Hoje só temos a Andorinha e o serviço prestado é de péssima qualidade, sem contar o alto preço da passagem e outros problemas, como parada em um estabelecimento comercial em Miranda, quando deveria ser na rodoviária", ressaltou.

Vendramini lembrou a audiência pública realizada no ano passado para tratar o problema que não teve participação de representantes da própria empresa Andorinha. "Além disso, temos cobrado providências da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) para uma nova concorrência, abrindo espaço para novas empresas. A Andorinha pode até continuar prestando serviço, mas não só ela. Temos que ter outras empresas", cobrou.

Viação Motta
O presidente da ACIC, Lourival Vieira, também cobrou melhorias dos serviços de transportes de passageiros. Ele lembrou a presença da Viação Motta, alguns anos atrás, fazendo o percurso Corumbá-Campo Grande. "Foi uma briga do Zamlutti (Alfredo) na época. A Motta passou a fazer o serviço com ônibus melhores e passagens mais baratas. Mas, a Andorinha conseguiu na justiça e a Motta ficou somente uma semana", lembrou.

O presidente da OAB de Corumbá, Roberto Lins, disse que a Ordem entrou na briga devido à qualidade dos serviços prestados pela Andorinha. Revelou ter presenciado caso de uma pessoa portadora de deficiência (cadeirante), que teve problemas em uma das viagens, entre outros.

Citou também o alto valor das passagens e as condições dos veículos. "Fazem passeata pela cidade mostrando novos e modernos veículos que ficam pouco tempo aqui e param de atender Corumbá", comentou, ressaltando que é preciso respeitar a sociedade corumbaense, que a OAB entrou nessa luta justamente por isso, e que é preciso a população também discutir o problema. "Vamos levar este assunto para a reunião da OAB nesta quarta-feira, e depois na reunião do colegiado de presidentes", informou.

O vereador Fábio Peixoto, por sua vez, cobra a presença de uma empresa de transporte de passageiros em Ladário. Hoje, quem atende o município vizinho também é a Andorinha. Uma tentativa de oficializar o serviço com utilização de Vans, foi barrada pela Agepan, destacou Vagner Pharol.

Preço diferenciado
O vereador Baianinho, por sua vez, disse ter presenciado uma discussão no balcão da Andorinha, na Rodoviária. "Uma senhora, na hora de comprar a passagem com destino a Campinas, viu que o valor estava acima do que ela pagou em Campinas, quando veio para Corumbá", revelou. "Além disso, a Andorinha não deixa ônibus de outras empresas pararem na rodoviária. Age como se fosse dona do espaço", completou.

Evander informou que todos os detalhes tratados na reunião vão fazer parte de um documento que será encaminhado ao Governo do Estado. A intenção é solicitar audiência com as fontes governamentais e tratar do assunto em Campo Grande, cobrando uma nova concorrência pública e a abertura de espaço para novas empresas, colocando um ponto final no monopólio da Andorinha.