Fronteira

Pesquisa aproxima Brasil e Bolívia

Fonte: Assessoria de Imprensa Embrapa em 25 de Maio de 2017

Na última semana, cerca de 100 alunos do curso de graduação em engenharia agrícola da Universidad Autónoma Gabriel René Moreno, de Santa Cruz de La Sierra - Bolívia, vieram conhecer o Pantanal e o trabalho realizado pela Embrapa na região. "Pela localização da unidade, temos como uma das nossas missões atuar como porta de entrada para as demandas bolivianas, favorecendo a transferência de tecnologias da Embrapa para a América do Sul", diz o chefe-geral da Embrapa Pantanal, Jorge Lara. "Nesse contexto, a aproximação com o setor universitário favorece muito o intercâmbio de conhecimento. São pessoas que vão atuar no setor agropecuário da Bolívia futuramente. Sabendo do potencial da Embrapa, eles têm mais chances de acessar nossos sites, buscar contatos e parcerias com empresas brasileiras".

A visita contou com a apresentação das palestras "O Pantanal, suas principais características, formas de exploração e a atuação da Embrapa", por José Comastri Filho; "Medição de emissões de metano entérico em bovinos", por Ana Helena Fernandes; "Pesquisa participativa em Agroecologia", por Alberto Feiden, e "Redes de pesquisa sobre conservação e uso do Bovino Pantaneiro e Recursos Genéticos Animais", por Raquel Soares - todos pesquisadores da Unidade. Após a programação no auditório, os participantes realizaram visitas aos laboratórios e demais instalações da Embrapa Pantanal.

De acordo com Ana Isabel Ortiz, engenheira agrônoma e professora do curso, a maioria desses estudantes é formada por filhos e filhas de produtores rurais. Na região em que a universidade está inserida, cerca de 90% dos produtores são considerados pequenos agricultores - daí a importância de se discutir temas como a agricultura familiar e a agroecologia. A universidade tem interesse em trazer outros 100 alunos para fazer uma visita semelhante à unidade entre junho e julho deste ano.

A estudante Rosário Rosalas, que cursa o 6º semestre, diz que esta foi a primeira vez que visita esta região do Pantanal. "Achei a agricultura muito diferente de onde moro, parece mais avançada por aqui. Acredito que poderei aproveitar esta experiência para aprender mais, principalmente sobre a criação de gado, e tentar os aplicar conhecimentos adquiridos onde vivo", afirmou a estudante boliviana.

O engenheiro agrônomo e professor do curso Alfredo Aguayo explicou que o principal objetivo da visita é fazer um intercâmbio de conhecimentos sobre manejo em agronomia e pecuária, assim como conhecer mais sobre os trabalhos da Embrapa como um todo. Segundo o professor, o que mais chamou a atenção da equipe e dos alunos foram as palestras referentes à criação de gado, com ênfase na preocupação que existe em reduzir os gases tóxicos produzidos pelos bovinos. "É muito interessante para os alunos equilibrar a crescente demanda por produção de carne com o impacto que estes gases tóxicos têm no meio ambiente. Acredito que o estudante só tem a ganhar com esta experiência de confrontar e somar outros pontos de vista, além do que eles já têm em suas diferentes realidades", concluiu Aguayo.

De acordo com o supervisor do Setor de Gestão de Transferência de Tecnologia da unidade, Kenndel Zuanazzi, o SGTT recebe sempre demandas por palestras e parcerias de diversas instituições - incluindo as de ensino no Brasil e no exterior, como foi o caso da Universidad Autónoma Gabriel René Moreno. "Geralmente, após as solicitações, partimos para a organização do evento em si e contatamos os diferentes setores que estarão envolvidos com a ação (pesquisa, infraestrutura, logística, etc.), o que varia de caso para caso. Analisamos a grade curricular da instituição de ensino para, então, definirmos os temas que possam ser mais interessantes para os alunos. Os pesquisadores elaboram as palestras com enfoque na metodologia da pesquisa para despertar maior interesse pelos temas", explicou.