Coisas que Acontecem

INVADIRAM GERAL

Fonte: Farid Yunes em 22 de Junho de 2017

Taxistas corumbaenses acabam entrando em conflito com a desleal concorrência dos bolivianos que fazem transportes de passageiros, sendo a Rua Dom Aquino a principal rota desses clandestinos.

Arquivo Correio de Corumbá

O que se percebe hoje em Corumbá é uma invasão total de bolivianos em todas as áreas.

Conforme nossa Capa do semanário Correio de Corumbá da última edição, começamos pela saúde onde a situação é séria e caótica, já que não temos nem para nós que moramos em Corumbá, que dirá dividindo com eles que residem do lado de lá da fronteira, sendo que alguns deles são desaforados, atrevidos, mal educados e despreparados para um diálogo franco.

Para estarem como manda a lei, muitos dos hermanos vão aos postos de saúde para tirar a carteira de saúde do SUS e para comprovar que "residem" no Brasil, tiram contas de luz, algumas vezes com total conhecimento do inquilino brasileiro que mora no imóvel, que recebe um "jabá" para atestar que o estrangeiro também mora no seu imóvel, o que caracteriza falsidade ideológica. Dizem que até alguns médicos aprovam porque qualquer intervenção ou procedimento médico que realizam, recebem duplamente do SUS e particular, tomando lugar de brasileiros que necessitam de tratamento ou internação.

Segundo informações que recebemos, trinta por cento dos leitos hospitales são ocupados por bolivianos que moram no vizinho país.

Muitos ainda afrontam autoridades brasileiras, ameaçando que farão denúncias em Brasília, inclusive junto ao Ministério da Saúde e Ministério da Justiça.

No domingo passado tivemos uma corrida de veículos na fronteira e conforme aconteceu no ano passado, nos acidentes ocorridos todos os feridos são atendidos no Pronto Socorro Municipal e Hospital de Corumbá, o que foi uma vergonha.

Experimente estacionar seu carro ou moto de forma irregular do lado de lá e verá o que acontecerá, com certeza será guinchado.

Já nas feiras, principalmente na de domingo, bolivianos que utilizam aquelas balanças capengas e desreguladas estão tentando derrubar o presidente da Associação dos Feirantes que é brasileiro, só porque estava exigindo organizando por parte deles, maior higiene, aquisição de balanças de precisão aferidas pelo Inmetro, maior qualidade de determinados produtos e outras providências para que possam satisfazer os consumidores brasileiros.

Outra situação irregular diz respeito ao descarregamento na chegada e recolhimento dos produtos que sobraram no fim de feira. Eles fazem isso na hora que bem entendem, não se importando de ainda estar em plena movimentação dos fregueses, vão circulando com seus veículos como camionetes e até caminhões no meio da feira, desafiando todos nós, nas barbas dos fiscais e guardas de trânsito.

O transporte de passageiros nos táxis bolivianos é feito a toda hora e pegam passageiros até nas horas de pico e em qualquer local, cobrando em torno de R$ 5,00 por passageiros. Táxis em veículos do século passado, com partes caindo pelo caminho, inclusive peças, recolhendo passageiros livremente pelas vias públicas de Corumbá, nas barbas dos taxistas brasileiros que ficam nos pontos legalizados.

Agora também estão fazendo serviço de mototáxi em Corumbá, de forma clandestina, sem nenhuma segurança, prejudicando os brasileiros legalizados.

A mais recente atividade dos bolivianos por aqui: estão adquirindo imóveis de brasileiros no Conjunto Minha Casa Minha Vida do Governo Federal, com simples contratos de gaveta, só para poderem tirar contas de água e luz em seus nomes para receberem o credenciamento por parte do SUS e outras regalias no território brasileiro.

O intrigante é saber como fazem a compra e a transferência desses imóveis que são financiados pela Caixa ou pelo setor de Habitação Federal.

E confirmando que com relação à saúde, o secretário municipal do setor estará se reunindo amanhã, segunda-feira, dia 19 de junho, com autoridades bolivianas e com os próprios infratores para encontrarem uma solução que a situação irregular está a exigir para acabar com todos esses abusos.