Coisas que Acontecem

A DESORDEM NO HOSPITAL

Fonte: Farid Yunes em 23 de Junho de 2017

Arquivo Correio de Corumbá

Dia desses observamos algo que é de responsabilidade do cidadão.

Várias motos sendo empurradas de dentro do hospital local, além das bicicletas que já se tornou comum.

Vamos citar o Banco do Brasil, onde vários funcionários também possuem motos, mas nenhum deles ao chegar para o expediente carrega suas motos para dentro desse estabelecimento bancário.

Ao chegarmos ao hospital, logo pela manhã, observamos uma moto atravessada na rampa que dá acesso aos veículos como ambulâncias do SAMU, impedindo a entrada ou saída dos veículos que conduzem os doentes para tratamento ou cirurgias.

Ao saímos da nossa Santa Casa, tinha uma ambulância boliviana parada no alto da rampa, atravancando, impedindo a circulação de outros veículos, inclusive do SAMU.

Os condutores desses veículos clandestinos do vizinho país têm que parar de pensarem que são os donos do mundo, agindo como querem.

Donos do Brasil e da nossa saúde pública somos nós brasileiros. Do outro lado da fronteira vocês mandam. Portanto, respeitem-nos.

Certa vez perguntamos a um boliviano por que não fazem tratamento médico lá mesmo na Bolívia, que tem médicos, enfermeiros(as), clínicas e hospital em Porto Suarez. Foi quando o Hermano nos respondeu de pronto: "Lá é pago". E lhe respondi: Aqui em Corumbá quem paga somos nós, pois quando precisamos de atendimento ou leito hospitalar vocês estão ocupando nossos lugares.