Saúde

Equipes de Saúde de Corumbá alertam para cuidados com as hepatites virais

Fonte: Assessoria PMC em 29 de Julho de 2017

Atividades de orientação à população marcaram o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais em Corumbá. Celebrada na sexta-feira, 28 de julho, a data contou com panfletagens educativas no posto fiscal Lampião Aceso, que fica na BR-262, e no Posto Esdras, faixa de fronteira do Brasil com a Bolívia. As ações foram realizadas pelas equipes da Secretaria Municipal de Saúde.

Ao longo de toda a sexta-feira, profissionais da Secretaria de Saúde farão a divulgação da campanha "Conhecê-la. Enfrentá-la. A hepatite afeta a todos, em qualquer lugar". No período noturno, estão previstas ações dos profissionais do Consultório na Rua e da Unidade de Saúde João de Brito. As atividades tiveram início no dia 1° de julho com atendimento à população, orientações e distribuição de preservativos em diversos pontos da cidade.

O Dia Mundial e Luta Contra as Hepatites oferece oportunidade para a conscientização do risco da doença, mas, principalmente, da importância da prevenção e da procura pelo diagnóstico precoce e tratamento. As hepatites virais, ao contrário de outras doenças causadas por vírus, têm prevenção e tratamento, com resultados muito positivos e semelhantes entre os diversos países, incluindo os que estão em desenvolvimento.

As hepatites virais são doenças infecciosas causadas por vírus, os quais se alojam especialmente no fígado. Dentre os cinco tipos existentes da enfermidade, três são os que mais se destacam por seus efeitos sobre a população: A, B e C.

Sintomas
De modo geral, as hepatites virais são assintomáticas, ou seja, uma pessoa que esteja com a doença provavelmente não vai ter sintomas aparentes. Por isso, especialistas dizem que esta é uma doença silenciosa. Entre os mais comuns estão febre baixa, fadiga, mal estar, náuseas, dor abdominal, falta de apetite, icterícia (a pele fica com coloração amarelada), urina escura e fezes esbranquiçadas.

O tratamento, feito com retro antivirais, varia de paciente para paciente, levando em consideração seu histórico de doenças e se possui alguma outra enfermidade. Os medicamentos são oferecidos pelo Sistema Único de Saúde. Com informações do Ministério da Saúde (Blog da Saúde).