Economia

Senai Empresa reúne em Corumbá interessados em reduzir a conta de energia

Fonte: Assessoria de Imprensa em 15 de Setembro de 2017

Divulgação

Empresários e consumidores em geral estiveram reunidos, na noite desta quinta-feira (14/09), no Senai de Corumbá, para assistirem à apresentação do projeto "Sistemas Fotovoltaicos", que integra o PSGE (Programa Senai de Gestão Energética) e marca a inserção da instituição no mercado da energia limpa. De acordo com o gerente do Senai Empresa, Rodolpho Caesar Mangialardo, muitos empresários têm se entusiasmado com a possibilidade da nova tecnologia e apresentar o projeto diretamente nos municípios passa mais credibilidade.

"Percebemos que as pessoas estão muito curiosas para saber como o projeto funciona, como o financiamento pode ajudar na implantação e instalação do equipamento e em quem confiar porque estamos vendo também muitos aventureiros no mercado, ofertando produtos, mas sem corresponder às expectativas", explicou Rodolpho Mangialardo, completando que o Senai Empresa vem justamente para dar suporte de consultoria.

"Apesar da promessa de economia, não é possível precisar em quanto a conta de luz será reduzida com a instalação dos painéis. Não é possível economizar até 100% na conta de luz porque só com o fato de estar conectado à rede de energia gera um consumo mínimo, ou se houver variação da incidência de luz solar, o que também influencia", detalhou o gerente do Senai Empresa, acrescentando, no entanto, que o consumo de energia elétrica pode, sim, ser zerado e todo esse excedente, que é injetado na rede elétrica, pode ser usado no prazo de cinco anos ou comercializado. "E existe também a possibilidade de essa energia ser consumida em outras propriedades, como um segundo imóvel, uma fazenda, desde que vinculado a um mesmo CNPJ ou CPF", reforçou.

Para o empresário interessado em instalar em sua indústria um sistema de placas fotovoltaicas, o Senai Empresa oferece consultoria, orientando, de maneira técnica, sobre fatores como preços de mercado, linhas de financiamento disponíveis e viabilidade da instalação, além de firmar parcerias com o Banco do Brasil, que financia para empresários os custos do projeto, via FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-oeste), e com o Sebrae, que subsidia até 80% do valor da consultoria. Pessoas físicas, por sua vez, que desejam instalar o sistema em imóveis residenciais, por exemplo, podem contrair financiamentos comuns para custear a instalação das placas solares em qualquer instituição financeira.

O gerente do Senai de Corumbá, Marcelo Alexandre Zinsly, destacou a importância da aproximação do Senai Empresa com os empresários da região. "É uma oportunidade a mais para eles conhecerem o que temos para oferecer além dos serviços voltados à formação profissional. Trazer uma apresentação sobre energia fotovoltaica ainda casa com o momento que vivemos hoje, de busca por alternativas que tragam economia, garantindo mais competitividade para as indústrias", afirmou.

Repercussão
Para o gerente de desenvolvimento local da Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Produção Rural, Raul Castelão, o projeto do Senai é uma iniciativa significativa para a região de Corumbá. "Levando em consideração que estamos dentro do bioma Pantanal, alternativas como esta de geração de energia limpa são essenciais para o desenvolvimento local. Esse evento do Senai vem ao nosso encontro, porque como administração municipal temos a preocupação de preservar o meio ambiente e ajudar a promover o desenvolvimento local", salientou.

Já o gerente-geral do Banco do Brasil em Corumbá, Márcio Marcelo Freire de Paula, comentou que ainda há muito desconhecimento sobre energia fotovoltaica por parte da população. "E isso não é apenas em Corumbá, mas em todo o país. Então esse evento do Senai é fundamental para explicar como funcionam as placas fotovoltaicas e apresenta ainda como nós, do Banco do Brasil, podemos oferecer os financiamentos via FCO", pontuou.

Representando o Sebrae/MS, Flaviana Martins ressaltou a necessidade da divulgação de um projeto para geração de energia limpa e mais barata para os empresários de Corumbá. "Além de toda a preocupação com o meio ambiente que temos aqui, Corumbá é uma cidade que tem uma incidência solar muito grande e a energia solar, além de limpa, reduz os custos das empresas e traz mais competitividade", disse.

Interessada em reduzir custos em sua empresa, a empresária Viviane Vicuna, da Digão Locações, não perdeu a oportunidade de participar da apresentação. "Assim que soube, já anotei na minha agenda, porque tudo o que proporciona redução de custos é do nosso interesse, principalmente num momento de crise como o que estamos passando", relatou.

Segundo o gerente da Preserv Construções e Montagem, Hélio Fernando Brandão da Silva, a empresa já tem interesse em investir em energia fotovoltaica e a apresentação do Senai contribuiu para trazer ainda mais informação sobre o assunto. "Já tínhamos pesquisado porque, no atual momento, é fundamental buscar novas alternativas para reduzir custos e a energia solar também tem o benefício de ser uma energia limpa, sem prejudicar o meio ambiente", reforçou.

Simulação
Além da palestra, o Senai Empresa ofereceu uma simulação para ver a viabilidade da redução do valor da conta de energia. Um dos interessados foi o produtor rural Paulo Dias Fernandes pretende investir em seu haras e já quer planejar as ampliações com a instalação de placas fotovoltaicas. "Eu quero fazer o projeto já com as placas fotovoltaicas e agora, depois da simulação, mais ainda, porque com a simulação feita, terei uma economia de cerca de 80% na conta de energia", afirmou.

A empresária Conceição Costa, da Cerâmica Vista Bela, também ficou animada após a simulação. "Nossa conta de luz é hoje de R$ 16 mil e com as placas cairia para R$ 12 mil. Não é algo tão significativo, mas com o dinheiro que economizarei posso fazer outros investimentos na minha empresa", comentou.

Já o 1º tenente da Marinha Teles, do 6º Distrito Naval da Marinha, em Ladário (MS), apresentou a conta do Clube Camala, que pertence à Marinha e ficou surpreso com a redução no valor da conta de energia indicada pela simulação. "De R$ 12 mil cairia para R$ 4 mil. Vou apresentar a proposta do projeto e verificar a viabilidade da instalação das placas fotovoltaicas no nosso clube, porque com certeza é algo que vai valer a pena", concluiu.