Política

PDT busca aliança com PSB e PTB e já crava juiz Odilon como candidato

Fonte: Nyelder Rodrigues e Geisy Garnes/CGNews em 07 de Outubro de 2017

Com candidatura cobiçada ao Governo, Odilon participa de roda de capoeira ao lado de Biffi.

Divulgação

Faltando um ano para as eleições estaduais e nacionais - que acontecerá em outubro do ano que vem -, o PDT de Mato Grosso do Sul já faz planos e busca alianças para a disputa, que promete mostrar novos cenários ao eleitor, como o PDT assumindo uma postura mais agressiva em busca de votos.

Durante evento de filiação de mais de 200 novos membros, com destaque especial ao ex-deputado federal vindo do PT, Antônio Carlos Biffi, também foi feito convite formal para que o juiz aposentado e presente do encontro, Odilon de Oliveira, se filie ao partido e concorra ao cargo de governador.

De olho no espaço social e político que eles consideram que o PT não representa mais, o partido vê em Odilon uma oportunidade de demonstrar que, apesar de tradicional, o legenda pode crescer ainda mais e representar renovação - Odilon de Oliveira Junior, filho do juiz, é vereador na Capital pela sigla.

"Espero que fiquemos do mesmo lado", frisa o ex-parlamentar e articulador pedetista, João Leite Schimitd, que completa. "Combinamos com o Odilon de ele vir para o PDT. Ele vem, no dia 11 de novembro e de lá sai candidato a governador", revela, aproveitando ainda para convidar as pessoas a participarem.

Coligações - Outro líder do PDT, o deputado federal Dagoberto Nogueira, também já dá como certa a candidatura de Odilon ao Governo do Estado em 2018 e articula alianças para a corrida eleitoral.

A intenção é lançar 36 candidatos a deputado estadual, enquanto o número de federais ainda é estudado. Já para o Senado, o partido estuda coligações, por ora, com PTB e PSB, partidos que também possuem novos nomes.

No caso do PTB, o partido ganhou recentemente a adesão do ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad. Ele era um dos presentes no evento do PDT nesta noite e, segundo Dagoberto, é um dos cogitados para o partido apoiar ao Senado.

Outro que estava no evento era o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, que atualmente está no PSB, mas já concorreu ao Senado, em 2014, sob a sigla do PT. Ele é outro cogitado pelo PDT para apoiar em 2018 em coligação. Além dele, outro nome forte do PSB para a vaga é o ex-prefeito de Dourados, Murilo Zauith, revela Dagoberto.