Geral

Fecomércio e sindicatos patronais recebem críticas de trabalhadores

Fonte: Da Assessoria em 18 de Outubro de 2017

Empregados em casas lotéricas, locadoras, representantes comerciais e em empresas de factoring e assessoramento de Mato Grosso do Sul querem uma posição das classes patronais quanto ao pedido de 15% de reajuste salarial que foi solicitado por intermédio de seu sindicato, o Seaac/MS. A data base para fechamento de Convenção Coletiva de Trabalho dessas categorias é 1º de novembro e até agora apenas o sindicato dos despachantes promoveu a primeira rodada de negociação e já marcou a segunda reunião para 24 de outubro.

"As demais categorias sequer se manifestaram depois de receber as reivindicações da categoria. É preciso respeitar e valorizar os funcionários", argumenta Estevão Rocha, presidente do Seaac/MS.

O diretor da entidade, Leandro William Priamo afirmou que as negociações com os despachantes de Mato Grosso do Sul estão bem avançadas. Ele acredita que nessa segunda rodada de negociação, no dia 24 de outubro, poderão chegar a um acordo para fechar a CCT 2017/18, com percentual de reajuste que cubra as perdas salariais para a inflação e com ganho real para os salários dos trabalhadores.

"Lamentamos muito o descaso dos demais sindicatos (Sinfac, Sinal e Sescon) e a Fecomércio (Federação do Comércio, Bens e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul), que não se manifestaram até agora diante das propostas que encaminhamos para fechamento da CCT dos respectivos trabalhadores. Lembramos que a data base das categorias é 1º de novembro", desabafa Leandro Priamo.