Política

Ruiter apresenta planejamento do calendário de eventos para 2018

Fonte: Da assessoria PMC em 28 de Outubro de 2017

Prefeito detalhou planejamento dos eventos para o ano que vem.

Renê Marcio Carneiro/PMC

O planejamento para 2018 do calendário de eventos do Município foi apresentado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira no final da tarde da sexta-feira, 27 de outubro, durante entrevista coletiva no auditório da Prefeitura. Ruiter esclareceu que o cenário econômico nacional, que gera reflexos em Mato Grosso do Sul e Corumbá, foi um dos fatores que levaram à transferência da 14ª edição do Festival América do Sul Pantanal (FASP) para maio do ano que vem.

"Tivemos, em comparação com o ano passado, um decréscimo na arrecadação. Nossa receita está 10% menor que a receita do ano passado e os custos se mantendo no mesmo patamar do ano passado em relação ao custeio da nossa máquina. Há uma folga bem menor de recursos para fazer investimentos ou para aplicação em qualquer outra possibilidade em que o poder público seja protagonista da ação", explicou Ruiter. "Temos perspectivas nos cenários nacional e estadual, economicamente falando, de que no ano que vem tenhamos condições mais favoráveis".

De acordo com o chefe do Executivo por conta do cenário de crise econômica do Brasil, o Município teve de fazer uma série de ajustes e se viu obrigado a suspender algumas ações. "Tivemos de suspender o Festival Águas do Pantanal para o ano que vem, tivemos confirmado pelo Governo do Estado, que é o principal realizador com mais de 95% dos recursos, que não teremos este ano o Festival América do Sul Pantanal, mas que será realizado no ano que vem", disse.

A mudança de data do FASP foi feita, esclareceu o prefeito, muito em função do quadro econômico vivido no país, que prejudicou a captação de recursos - pelo Governo do Estado - junto à iniciativa privada, através da Lei Rouanet de incentivo à cultura. "Para esse ano o Estado tinha uma situação muito boa para ter o recurso oriundo da Lei Rouanet, mais de 60% dele. A outra parcela seria do próprio Estado. Mas, essa parcela viria da Lei Rouanet, que precisa da participação da iniciativa privada. Havia dificuldade de a iniciativa privada participar, porque não vivemos um período de aquecimento econômico. As empresas estão com dificuldades de adiantar o recurso", explicou Ruiter informando que o governador se comprometeu em realizar um evento com qualidade "muito superior" às edições realizadas nos últimos anos.

Segundo o prefeito, o Festival América do Sul Pantanal podia ser realizado este ano, mas seria de forma "diminuta, muito pequena e sem grande parte dos recursos". Mas, não teria o alcance e envergadura que o evento e a cidade merecem. "Entendo que se for para ser realizado fora dos padrões que a cidade merece, é melhor que não seja. Se é para fazer um evento não atender a expectativa, é melhor que não seja feito", observou.

"O governador Reinaldo Azambuja tem sido parceiro e procurado contemplar Corumbá em várias questões. O Festival é uma dessas situações. Vamos fazer um Festival muito melhor que aquele que seria realizado em 2017, se comprometeu o governador. Teremos um perfil muito maior, com a possibilidade de projetar Corumbá e acima de tudo e a possibilidade de falar de desenvolvimento, de fomento econômico aqui na região ao longo da hidrovia e ferrovia. A expectativa é muito grande em torno desses temas", ressaltou o prefeito.

Ruiter Cunha afirmou também que o Executivo Municipal ainda vislumbra a perspectiva de realização, ainda este ano, do Festival Gastronômico Sabor das Américas (Fegasa) e o Pantanal Extremo. Em ambas as situações o Município busca parceria com o Governo do Estado.

O chefe do Executivo disse que pendências anteriores - à sua administração - com o Governo Estadual, estão travando o repasse de recursos do Estado para a realização desses eventos. "Infelizmente, o município de Corumbá hoje não se encontra em dia com o Governo do Estado, isso impede a celebração de convênios da Prefeitura, de qualquer uma das suas secretarias, para receber recursos. A prestação de contas foi realizada, mas considerada irregular pelo Governo do Estado em três convênios celebrados, sendo duas emendas parlamentares e uma na área de Educação em 2015 e 2016. Isso está impedindo a realização de outros convênios. Os repasses obrigatórios estão sendo feitos", completou.

Participaram da entrevista o vice-prefeito e diretor-presidente da Fundação de Esportes de Corumbá (Funec), Marcelo Iunes, o secretário Municipal de Governo, Cássio Augusto da Costa Marques, o diretor-presidente da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico, Cássio Augusto da Costa Marques, e a diretora-presidente da Fundação do Turismo, Maria Marju Venturini.