Geral

Adiada reunião sobre fornecimento de gás da Bolívia para termelétrica no Pantanal

Fonte: Tatiana Marin/Midiamax em 28 de Outubro de 2017

A reunião que aconteceria na tarde desta segunda-feira (30) entre Brasil e Bolívia foi adiada, informou o Itamaraty. O motivo para a suspensão da agenda é o problema de saúde presidente Michel Temer. O Governo de Mato Grosso do Sul participaria da reunião com ministros daquele país para tratar sobre o fornecimento de gás natural boliviano para a termelétrica de Ladário.

Na última quarta-feira (25) o Ministro da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson de Castro esteve em Campo Grande para eventos e esteve em conversa com o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli e o diretor-presidente da MSGás (Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul), Rudel Trindade.

A intenção é dar andamento ao projeto da termelétrica de Ladário, distante 435 quilômetros de Campo Grande, que está no papel há anos. Se todos as condições para a construção forem satisfeitas, a usina entrará em operação em 2023 e fornecerá energia para 1 milhão de habitantes.

"Existe gasoduto pronto para receber a termelétrica. É um projeto de muitos anos. O Governo tem feito trabalho no sentido de tentar viabilizar gás, que dá viabilidade para o projeto. Como envolve a Bolívia, estamos usando da relação do ministro Parkinson para nos auxiliar nessa relação entre Mato Grosso do Sul, o eventual grupo de interesse no projeto e o governo boliviano", explicou Miglioli.

A Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar) confirmou, por meio de assessoria, que a agenda paralela que os ministros bolivianos teriam com representantes do Governo, inclusive com o titular da Semagro, Jaime Verruck, também foi cancelada.

De acordo com a nota do Itamaraty, as chancelarias dos dois países irão negociar uma próxima data para remarcar a reuniao.