Cidade

Secretaria de Infraestrutura passa a gerenciar serviço de coleta seletiva

Fonte: Assessoria de Imprensa PMC em 30 de Outubro de 2017

Arquivo

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisp) passou a gerir o serviço de coleta seletiva de Corumbá. A atividade era gerenciada pela Fundação do Meio Ambiente do Pantanal (FMAP). Com término do contrato entre empresa responsável pela coleta e FMAP - na primeira quinzena de outubro -, a Secretaria de Infraestrutura assumiu a gestão.

"Esse serviço passou para gestão da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, que está realizando um processo licitatório para contratação de empresa para realizá-lo", explicou Ricardo Ametlla, titular da Sisp. O sistema de recolhimento dos resíduos sólidos residenciais orgânicos e não orgânicos, o chamado "lixo doméstico", permanece sem alteração.

Ametlla esclareceu que a vencedora do certame será conhecida agora em novembro. Mas, enquanto a empresa não estiver devidamente definida e regularmente contratada, a coleta será feita por equipes do próprio Executivo Municipal. "Nesse vácuo entre o término do contrato e o início de operação da empresa contratada, autorizamos a Secretaria de Infraestrutura, para que com equipe própria, realize o serviço de coleta seletiva, com caminhão e mão de obra próprios. Esperamos que a continuidade do serviço não seja afetada e essa transição de gerenciamento não seja sentida pela comunidade", disse o secretário.

"No próximo dia 20 de novembro faremos a abertura das propostas para elaboração de contrato com empresa", informou Ricardo Ametlla destacando que o contrato abrange também a coleta de resíduos sólidos, varrição de feiras e eventos. "Transcorridos os prazos legais, após a abertura das propostas, acreditamos que até o final de novembro tenhamos a empresa contratada e executando esses serviços. Temos que observar todos os prazos legais do processo, do certame jurídico", complementou.

Os Postos de Entrega Voluntária (PEVs) - para o descarte do material reciclável, que é constituído por lixo seco: papéis; vidro; plásticos e metais - terão sua utilização reformulada, antecipou Ametlla. Os contêineres estão instalados, por toda a cidade, em áreas de grande fluxo de pessoas.

"Vamos reorganizar ainda os sistemas dos PEVs porque observamos que o PEV é utilizado para outros fins que não aquele para o qual foi projetado. Não está sendo usado de forma correta, que diz respeito a resíduos de coleta seletiva. Está sendo usado para depósito do lixo comum. Observamos isso logo no início da administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e estamos dando uma melhorada nessa questão dos PEVs", finalizou.

O que é coleta seletiva
Coleta seletiva de lixo é um processo que consiste na separação e recolhimento dos resíduos descartados por empresas e pessoas. Desta forma, os materiais que podem ser reciclados são separados do lixo orgânico (restos de carne, frutas, verduras e outros alimentos). Este último tipo de lixo é descartado em aterros sanitários ou usado para a fabricação de adubos orgânicos.

Além de gerar renda para milhões de pessoas e economia para as empresas, também significa uma grande vantagem para o meio ambiente uma vez que diminui a poluição dos solos e rios. É de extrema importância para o desenvolvimento sustentável do planeta.

Nesse sistema, os materiais recicláveis são separados em papéis, plásticos, metais e vidros. Indústrias reutilizam estes materiais para a fabricação de matéria-prima ou até mesmo de outros produtos. Com informações do site Sua Pesquisa.