Política

Governador indica Monteiro e deputados querem Kayatt para conselheiros do TCE

Fonte: Maressa Mendonça e Izabela Jornada/Correio do Estado em 07 de Novembro de 2017

Gerson Oliveira/Correio do Estado e ALMS

Márcio Monteiro e Flavio Kayatt

Durante a sessão de hoje na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, o presidente da Casa de Leis, Junior Mochi (PMDB) leu a indicação para uma das vagas do Tribunal de Contas do Estado (TCE) encaminhada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) enquanto os deputados recolheram assinaturas e fizeram sugestão para outra vaga.

O chefe do Executivo Estadual indicou o secretário de Fazenda Márcio Monteiro para o lugar deixado pelo conselheiro José Ricardo Cabral. Já os parlamentares sugeriram o deputado estadual Flávio Kayatt (PSDB) para substituir Marisa Serrano.

José Ricardo Cabral e Marisa Serrano tiveram aposentadoria voluntária concedida pelo governador na semana passada.

Com base na indicação de Azambuja, Mocchi comentou sobre o currículo de Monteiro que, começou a carreira política quando tinha 40 anos, como prefeito de Jardim.

O primeiro mandato de Márcio Monteiro (PSDB) foi entre 1997 e 2000. Ele foi reeleito e atuou até 2004. Depois foi secretário adjunto de Meio Ambiente e Planejamento, deputado estadual e federal. Ele não concluiu esse último mandato, que termina em 2019, porque está licenciado para a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz).

"Sempre esteve à frente de questões políticas e também participou do Conselho Nacional de Política Fazendária, além de ter coordenado assuntos municipalistas", pontuou o governador no texto de indicação.

A Assembleia vai transformar esta indicação em projeto de decreto legislativo para tramitar na Casa de Leis.

Alguns deputados são a favor que os conselheiros sejam submetidos a sabatinas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). "É um trâmite normal. Eu acho que deveria ter sim", declarou o deputado estadual Amarildo Cruz (PT).

Os deputados apresentaram, antes de acabar a ordem do dia, 23 assinaturas de parlamentares com a indicação de Flávio Kayatt (PSDB) para ocupar a vaga deixada por Marisa Serrano. A indicação foi lida e encaminhada para a Secretaria de Assistência Legislativa Jurídica da Casa para ser transformada em projeto de decreto legislativo.