Cultura

Cia de Tetro “Maria Mole” comemora 21 anos com apresentação de três espetáculos

Fonte: Da Redação, com assessoria em 08 de Novembro de 2017

A Cartomante, encenada na Casa Dr. Gabi.

Divulgação

Em comemoração aos 21 anos de fundação em Corumbá, a Companhia de Teatro "Maria Mole" apresentará três espetáculos no mês de novembro, são: "A Cartomante", "O Homem Que Sabia Javanês" e "E o meu cabelo arrepiou...", para que as peças fossem planejadas e exibidas, a Cia foi comtemplada pelos editas do Fundo de Investimentos Culturais (FIC) da Prefeitura Municipal e pela Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania (SECC) através do Governo do Estado. Há 18 anos, a Cia tem como sede o Instituto Luís de Albuquerque (ILA).

"O Homem Que Sabia Javanês"
Dia 14 de Novembro às 20 e 21 horas no ILA, as portas serão abertas às 18 horas e a é gratuita.

"A Cartomante"
Dia 18 de Novembro à 20 e 21h30 na Casa do Dr. Gabi, a entrada será de R$ 20,00.

"E O Meu Cabelo Arrepiou..."
Dia 25 de Novembro às 20 e 21h30 no ILA, entradas a R$ 20,00.

BREVE HISTÓRICO
A diretora da Cia. Maria Mole, Bianca Machado, lembra que são 21 anos de atividades ininterruptas no município de Corumbá. Durante este período foram produzidas 20 espetáculos de diversos gêneros, dentre adultos, infanto-juvenis e empresariais, todos de criação coletiva, a fim de fortalecer e fomentar o crescimento pessoal e profissional dentro do trabalho coletivo.

A companhia se pauta na pesquisa e aprofundamento da identidade cultural Corumbaense e na literatura nacional. E, portanto, a busca por novas dramaturgias, reflexões sobre o trabalho do ator, pesquisa de linguagem estética e ativa participação nos projetos culturais e sociais, transformou a companhia uma referência de grupo profissional no município, ressalta Bianca que também acumula o cargo de produção.

Em 1997 a Cia. Maria Mole recebeu o público para a abertura da tão desejada Casa de Cultura Luís de Albuquerque, com diversas intervenções poéticas e históricas. Foi esse prédio histórico que a Companhia teve como sede até o ano de 2015, saindo somente para uma possível obra de recuperação, retornando um ano depois, em 2016. O importante é que em 1997 a Companhia selou seu compromisso com a história deste município, deixando para nós, atores, o ofício de garantir que a arte teatral mantenha sua relevância nessa história, afirmando o teatro como arte singular, fundamental para o aperfeiçoamento da condição de vida e a emancipação de ser humano.

Os espaços da companhia, constantemente abertos para a população, possibilita o encontro, descoberta e comunhão entre as pessoas e o surgimento de novos talentos. A Cia. mantém uma relação colaborativa com outros produtores culturais da cidade, no uso milenar do sistema de troca ou em produção de eventos coletivos que promovam a geração de renda, tendo como referência a "Boemia Cultural" que já acontece há 16 anos, e com o evento: "A Casa em Cena" há dois anos.

Em 2014 a Cia. de Teatro "Maria Mole" se empenhou na criação do Coletivo Setorial de Teatro de Corumbá por acreditar no desenvolvimento sistemático de mobilização, sensibilização e formação político-social deste coletivo como forma de garantir que existam políticas públicas e ampliação de manifestações sociais, como o debate participativo nos últimos anos, sintetizadas nas diretrizes do plano municipal e estadual de cultura.

O PROJETO
"Sinônimo de prospecção": perspectiva, paisagem, vista, campo, horizonte, panorama, cena, cenário, prospecto, contingência, possibilidade, probabilidade, chance, prospecto. Com investimento do Fundo de Investimentos Culturais (FIC), Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania (SECC) e Governo do Estado de Mato Grosso do Sul contemplou em 2017 o projeto "Sinônimo de prospecção" da diretora Bianca Machado.

O projeto de duração de 07 meses consiste na manutenção e comemoração dos 21 anos da Cia. de Teatro Maria Mole no intuito de aperfeiçoar o aprendizado coletivo. A Cia. entende que a preparação do ator parte da pesquisa que o leve a ampliação dos seus gestos e a percepção de sua voz. Indo ao encontro disso, o projeto proporcionou de maio a julho de 2017 oficinas de: corpo com Jair Damasceno - Campo Grande -; oficina de tambores com o Lutier Licio Gonçalves e oficina da palavra com a Cia. Maria Mole, para que a comunidade corumbaense e a Companhia proporcionem a comunhão entre os participantes e o surgimento de novos talentos. O projeto encerra com a apresentação de 03 espetáculos do nosso repertório.

Neste ano (2017) a Cia. de teatro Maria Mole também comemora 18 anos de sede na Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA), para nós: "a casa dos artistas". E foi essa vivência que nos fez entender a importância de preservar as edificações do município. Desse modo, propomos em nossos trabalhos a apropriação das edificações e das histórias contadas por elas, disse a diretora.

Foi assim que a Cia. escolheu para "A Cartomante" de Machado de Assis, edificações históricas restauradas ou em bom estado de uso, para mostrar a pujança dos nossos prédios e do texto de Machado de Assis, o espetáculo já foi apresentado em Corumbá na Beneficência Portuguesa, Casa do Dr. Gabi e no ILA. Já para o espetáculo "E o meu cabelo arrepiou...", optaram por construções degradadas pelo tempo ou pelo desuso para, em vista disso, levantar o debate sobre as ocupações e restauros em nosso município, as montagens da peça em Corumbá foram feitas no porão do ILA e no Moinho Cultural (em uma parte do grande complexo cultural que ainda estava desocupada); já em Campo Grande, na Estação Ferroviária e na antiga Escola Oswaldo Cruz.

Sobre a concepção dos espetáculos
Como o município não tem um teatro adequado para apresentações em palco italiano, a Cia. tem como alternativa fazer espetáculos itinerantes que exploram os cômodos das edificações. Em vista disso, sempre tivemos a intenção de iluminar estes espaços que são um dos grandes protagonistas das histórias de Corumbá e colocá-los nas pautas das discussões atuais.

Já a experiência com sombras veio do trabalho de pesquisa em ampliação das possibilidades de técnicas cênicas. E é com a utilização de técnica, intuição, coração e suor, que nos faz enfim pisar no sagrado espaço do palco - qualquer espaço, onde o ator e o espectador transpassam a linha do entretenimento e embarcam neste ritual provocador e instigante que é o espetáculo.

O primeiro espetáculo desta jornada, "O Homem Que Sabia Javanês" foi contemplado no projeto de remontagem Independência pelo FIC/PANTANAL/2016 - Corumbá. O texto de lima Barreto narra a história de um malandro que conta a seu amigo o que fez ele ser o único tradutor do Javanês em uma confeitaria de 1911. Com interação entre atuação e sombras, o espetáculo revela a atualidade do autor e lança uma nova referência em montagens alternativas. As sessões da peça serão realizadas na Casa de Cultura Luís de Albuquerque (ILA) no dia 14 de novembro às 20 e 21 horas, a entrada é gratuita. E, aos moldes do texto, o espetáculo acontecerá em um bar, isto posto, vamos abrir as portas às 18 horas para quem quiser ouvir uma boa música e tomar cerveja gelada antes e durante a peça.

Já "A Cartomante", texto de amor, traição e mistério de Machado de Assis será encenada na Casa do Dr. Gabi, dia 18 de novembro com sessões: 20 e 21:30h, a entrada será de R$ 20,00.

Em "E O Meu Cabelo Arrepiou..." o clima é de suspense nos porões da Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA) e é lá que a Companhia narra contos de bruxas e fantasmas baseados no livro "Fatos verídicos" de X-Panzé, pseudônimo de Mario Feitosa, jornalista de Corumbá que escreveu histórias de suspense entre as décadas de 40 a 60 para o Jornal "O Momento". O espetáculo será dia 25 de novembro com sessões as 20 e 21:30h, entradas a R$ 20,00.

As compras antecipadas de ingressos podem ser feitas no Bebi Festas.
O projeto conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Corumbá por meio da Fundação de Cultura de Corumbá e Bebi Festas.

FICHA TÉCNICA
Realização: Cia. Maria Mole
Produção: Bianca Machado
Cenografia e Figurino: Alouatta Criações
Luz: Coletivo Maria Mole
Música: Matheus Lugo e Lício Castro
Projeto e Criação de sombras: Cia. da Lona/Cia. Maria Mole
Fotografia/Filmagem: Gabriel Oliveira
Projeto gráfico: Rodrigo Nishino

ELENCO:
Aline Galvarro
Andri Rodrigues
Bianca Machado
Lício Castro
Mario Sergio
Matheus Lugo
Wesley Leitte

ELENCO DE APOIO:
Thayane Teixeira
Rodrigo Nishino
Carol Mendes