Geral

Nos Trilhos da Vida - JORGE MOREIRA BARRETO

Fonte: Dílson Fonseca em 22 de Novembro de 2017

Sr. Jorge e sua esposa dona Marilene.

Dílson Fonseca

O nosso ferroviário da semana é o senhor Jorge Moreira Barreto de 65 anos, sendo que dos quais 25 anos passou como ferroviário. Casado a 40 anos com a senhora Marilene de Fátima Fonseca Barreto, sendo que dessa união tem 8 filhos e 10 netos, que nos recebeu na sua casa, na Avenida Joaquim Wenceslau de Barros, antiga Avenida Santa Cruz, ao lado de sua esposa.

Entrou na ferrovia em 1974 como manobrador e aposentou em 1995 como supervisor de manobra. Para Jorge a ferrovia deixou um legado a Corumbá, trouxe empregos diretos e indiretos mas infelizmente isso não fez com que se mantivesse essa estrutura, pois o que vemos hoje é o abandono, sujeira, mato tomando conta de tudo.

Barreto lembra que logo que foi inaugurada a estação nova, era um point da cidade, as pessoas vinham passear, andar, admirar. A plataforma era impecável, bonita, limpa, iluminada, a lanchonete sempre cheia, o movimento começava cedo e ia até as 23 horas, todos os dias. Na sua opinião o trem pode sim voltar, mas é bem categórico, isso só vai acontecer se tiver um político corumbaense de nascimento e de ação e que goste da cidade, que more aqui e que queira realmente o desenvolvimento da região. Pois os que ai estão na atualidade "sem chance" disso acontecer.

O nosso ferroviário se aposentou com 25 anos de serviço na RFFSA, e saiu pela lei proporcional, ou seja, saiu com 70% do que ganhava na ferrovia. Com isso para aumentar o orçamento mensal continuou trabalhando no Restaurante Laço de Ouro e já está nessa nova função a aproximadamente 15 anos.