Política

Odilon muda discurso e diz que agora aceita aliança com investigados, mas não com condenados

Fonte: Airton Raes/TopMídiaNews em 06 de Dezembro de 2017

Após o ex-juiz federal Odilon de Oliveira dizer que não aceitaria coligação com investigados pela polícia, o candidato mudou o discurso. Agora, o pré-candidato afirma que não vai questionar as alianças articuladas pela presidência do PDT. "Eu sou contra aliança com figuras que foram condenadas. Não que foram levianamente acusadas", disse.

O presidente estadual do PDT, João Leite Schimidt, afirmou que a primeira fala de Odilon, mais dura, foi um discurso com 'teor midiático'. "Uma coisa é o discurso e a outra é a prática. Os partidos são feito por políticos e os partidos são o alicerce da democracia. Vamos fazer a boa política e uma campanha mais limpa possível. Não podemos condenar todo um partido por apenas um ou outro nome", destacou.

Odilon de Oliveira afirmou que em nenhum momento em sua fala desrespeitou a presunção de inocência. "Sou contra me aliar com figuras notoriamente corruptas. Aqueles que foram condenados ou que tem provas contundentes sobre a corrupção cometida. Não aquelas pessoas que a população quer acreditar que é corrupta", disse.

Perguntado sobre quais nomes de corruptos seriam esses que ele não aceitaria, Odilon de Oliveira se negou a responder, dizendo que não seria ético. "Vale lembrar que fazer acusações também é crime. Não vou citar nomes", disse.

Odilon lembrou que é Schimidt quem irá cuidar das alianças políticas e que não irá questionar as decisões tomadas. "Não cabe a mim fazer as alianças. Vou aceitar as alianças que forem feitas", disse.