Cidade

Agetrat deve intensificar o combate ao transporte clandestino de passageiros

Fonte: Assessoria PMC em 05 de Janeiro de 2018

A Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat) está em campanha contra o serviço de mototáxi clandestino. O objetivo é conscientizar a população sobre os riscos de usar transporte ilegal e estimular a utilização do mototáxi legalizado como benefício para o usuário, o trabalhador e o Município.

O capitão Cleiton Douglas da Silva, que responde pela Agetrat desde o dia 02 de janeiro, afirmou que o Município vai continuar no combate ao transporte clandestino. "Seja carro ou moto, vamos intensificar as ações de combate a esse tipo de transporte na cidade. Vamos continuar com esforço na busca de uma solução legal junto às autoridades brasileiras e bolivianas, intensificando também a repressão à prática", afirmou o diretor-presidente da Agência.

Conforme ele, as fiscalizações serão ampliadas com apoio da Polícia Militar, já que o capitão é integrante da instituição estadual. Cleiton serviu no 6º Batalhão de Polícia Militar de Corumbá entre os anos de 2009 a 2011. Também atuou como comandante da PMA em Miranda, Aquidauana e Corumbá.

De acordo com a Agetrat, mototaxistas autorizados têm equipamentos vistoriados constantemente pelas equipes da Agência, sendo o transporte seguro. Eles também participam de capacitações e apresentam "nada consta" (ficha limpa) dos órgãos de segurança pública para exercerem a profissão. Além disso, os legalizados têm seguro de vida transporte que contempla tanto o motociclista quanto o passageiro.

Já o clandestino não possui vínculos com o Poder Público, não tendo como provar que não tem antecedentes criminais. Caso seja necessário, o usuário não terá como fornecer nenhuma informação sobre ele às autoridades policiais. A motocicleta e o capacete oferecido pelo clandestino não passam por vistorias e a segurança do passageiro fica comprometida.

"As pessoas precisam primeiro se preocupar com a segurança delas no trânsito, que hoje é o que mais mata no Brasil. Quando as pessoas procuram o transporte clandestino, estão prejudicando a própria segurança porque esses mototaxistas ilegais não têm compromisso com ninguém, apenas com eles mesmos e não têm responsabilidade nenhuma com o Poder Público. Espero que os usuários procurem apenas os profissionais legalizados para transporte, pois eles estão sob o controle do Município, com dados e informações pessoais cadastrados", concluiu o capitão Cleiton.