Geral

A solidão entre Corumbá e Miranda

Fonte: Dílson Fonseca em 05 de Janeiro de 2018

Dílson Fonseca

A muito tempo estamos batendo nessa mesma tecla e nada muda, as autoridades ainda não se renderam a essa necessidade. Pois quando saímos de Miranda (MS) em direção a Corumbá (MS) ou vice versa, o que percebemos é que estamos sós, desguarnecidos. Fiscalização quase zero, os nossos companheiros são os radares e muitas vezes em determinada época do ano as boiadas. Encontramos também uma infinidade de animais mortos, sobras de pneus na estrada, além de sujeiras como garrafas pets e latinhas, que são jogadas pela janela dos carros de pessoas sem consciências. E quando viajamos para outras regiões como por exemplo a BR 163, que apesar de ser uma rodovia extremamente perigosa, verificamos a duplicação, e principalmente o apoio que a concessionária que é responsável pela manutenção da via oferece, além é claro como não poderia faltar, os pedágios. Mas voltamos a nossa BR 262, não tem nenhum ponto de apoio nesse trecho, qualquer problema que vier a ocorrer, vai depender da sorte do condutor resolver. Uma rodovia que tem determinados trechos mais parece um cemitério de animais e onde predomina a solidão.

Nesse trecho tem um pedágio que sobre a ponte, e que diga-se de passagem já vai aumentar novamente. Esse valor arrecadado é apenas para manutenção da ponte? Que na verdade só se tomam medidas paliativas. É preciso que o poder público estadual que autoriza o aumento desse pedágio diga qual o verdadeiro destino desse recurso. Se é apenas para manter a ponte em pé, ou se deve, também dar um apoio como uma área para os motoristas/viajantes. Isso em virtude dessa rodovia cortar nada mais nada menos do que o Pantanal, uma riqueza mundial.

Mas infelizmente esse trecho é um abandono total, nada de apoio e nem mesmo a fiscalização existe de forma eficaz, mas também como fiscalizar por exemplo o meio ambiente se o número de agentes públicos é insuficiente. Mas infelizmente essa é a realidade. Mais uma vez pedimos aos governo do Estado do Mato Grosso do Sul, que pelo menos cobre da concessionaria esse apoio logístico e se caso não estiver no contrato esse apoio, que o governo do estado do Mato Grosso do Sul, o faça, pois quem autriza o aumento do pedágio é o governo estadual, é só olhar o "bilhetinho" que recebemos quando passamos pelo pedágio, de que dia 01 de Janeiro de 2018,acontecerá um novo aumento, AUTORIZADO PELO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL.

Mais uma vez esperamos que no ano que vem esse tão esperado apoio aos viajantes que vem ao Pantanal, passe a existir, pois do jeito que está não dá mais pra continuar. E aqui vamos continuar cobrando, afinal esse é o nosso papel.

Que em 2018 as coisas mudem de verdade, mas a mudança antes de tudo deve estar na gente, na nossa conduta e principalmente na nossa maneira de votar, votar com a cabeça, com a consciência e não votar mais no toma la dá cá. É tempo de reagir pra mudar pra melhor.