Carnaval 2018

Acadêmicos do Pantanal homenageia este ano a escola de samba mais antiga de Corumbá

Fonte: Assessoria de Imprensa PMC em 10 de Janeiro de 2018

Acadêmicos do Pantanal se apresenta na primeira noite de desfiles.

Gisele Ribeiro/PMC

Prometendo promover um dos melhores desfiles desde sua fundação, o G.R.E.S. Acadêmicos do Pantanal vai homenagear a mais antiga escola de samba de Corumbá, a Império do Morro, que completa 60 anos de organização em 2018. Com a média de 800 componentes, a escola será dividida em 13 alas e tem dois carnavalescos à frente, sendo um deles Jackelyny Pazzolyny. O responsável pela comissão de frente será elemento surpresa do desfile.

Com o enredo "A Pantanal é verde e rosa e celebra 60 páginas de glórias", a escola vai imortalizar na avenida as seis décadas de tradição da Império, que vem enaltecendo a cultura corumbaense desde a sua fundação. "O enredo vem falando de uma escola de samba muito querida em Corumbá, que é a Império do Morro. Pegamos os enredos mais marcantes da escola juntamente com seus fundadores e com aquelas pessoas que mais contribuíram com a Império do Morro. Tudo isso se transformou em nosso enredo de 2018", explicou Fernando Willian da Costa, presidente da Acadêmicos do Pantanal.

À frente da escola, juntamente com o presidente, estão a vice-presidente Bianca Baruki; 1º secretário Rewerton Rever; 2º secretário Luiz Carlos de Oliveira, e 1º tesoureiro Enilde Vital da Costa. Ano passado, a Acadêmicos do Pantanal ficou em terceiro lugar do Grupo de Acesso com o tema "Bar Brasil". Pela ordem estabelecida pela Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá (Liesco), a Pantanal desfila no domingo, 11 de fevereiro, sendo a quarta escola a se apresentar na Passarela do Samba.

"Vamos mostrar as novidades na avenida, mas podemos antecipar que vamos fazer um desfile bem técnico, preparado, para fazermos melhor que no ano passado e esperar o melhor ano da Acadêmicos do Pantanal, estamos nos esforçando para isso. Vamos fazer um carnaval com o nível de escola de Grupo Especial", garantiu Fernando.

Neste ano, o mestre de bateria será Igor Medeiros e 100 ritmistas vão levantar o público e mostrar o samba da escola. A rainha de bateria é a Carol Duarte e o mestre-sala será Márcio, que vem do Rio de Janeiro exclusivamente para o desfile. A porta-bandeira é a Lúcia Baruki. Serão cinco carros alegóricos, contando com o abre alas.

Fundada em 25 de julho de 2001, a Escola de Samba Acadêmicos do Pantanal tem sede localizada na rua Joaquim Venceslau de Barros, nº 1100, no bairro Aeroporto. Os ensaios começam nesta quarta-feira, 10 de janeiro, e vão acontecer na sede, sempre às 20 horas.

Ficha Técnica
Presidente: Fernando Willian da Costa
Carnavalesco: Jackelyny Pazzolyny
Diretores de Carnaval: Erykarla Costa e Wesley Santana
Enredo: "A Pantanal é verde e rosa e celebra 60 páginas de glórias"
Autores do Samba-Enredo: Nino Smith e Adelmo Luiz
Mestre de Bateria: Igor Medeiros
Ritmistas: 100
Rainha da Bateria: Carol Duarte
Alas: 13
Componentes: 800
Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Márcio e Lúcia Baruki
Carros Alegóricos: 5
Fundação: 15/07/2001

Confira o samba-enredo de 2018 da Acadêmicos do Pantanal, de autoria de Nino Smith e Adelmo Luiz:
Descendo o morro eu já posso imaginar...
A alegria do Rei...
É ver a porta bandeira a girar.
Num gesto da mais alta nobreza
A academia vem te homenagear
Herdeiros da cultura popular
Unindo as nossas paixões
Para a vitória alcançar
Pode aplaudir
Jogar confetes e serpentinas.
Nos salões sou pierrô e você a Colombina
A festa é nossa, a festa é sua...
Apaixonados no meio da rua...

Não deixa o samba morrer...
A esperança é você...
No voar do Tuiuiú revivendo a história
Sessenta anos de glória.
Orgulho dos nossos sambistas, revelando talentos, artistas
Dos fundadores às novas gerações
No girar da Coroa, surgem novos campeões
A cada enredo, a cada melodia.
Reflete a nossa emoção
Lá do céu a iluminar...
Dona Venância e uma constelação.

Nessa avenida soltar o grito da garganta
É o que eu mais quero...
Me dá licença...
Hoje eu sou Império.
Se o morro foi feito de samba, se o samba é pra gente se amar...

Quando a Pantanal passar
Não se acanhe em chorar...
Somos verde e rosa
Deixa o povo cantar